quinta-feira, 17 de março de 2016

O POVO CLAMA CONTRA A CORRUPÇÃO

Manifestantes com faixa durante protesto na frente do Palácio do Planalto contra nomeação do ex-presidente Lula como ministro-chefe da Casa Civil (Foto: Alexandre Bastos/G1)

O protesto teve a participação de parlamentares. O deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) foi vaiado por manifestantes. Outro membro da Câmara Federal que esteve no protesto foi Jair Bolsonaro (PP-RJ), que levou assessores ao ato. Os deputados deixaram o local logo no começo do ato.

A presidente Dilma e o ex-presidente não estavam no Planalto durante a manifestação. A chefe do Executivo deixou o palácio por volta das 18h. Lula deixou Brasília durante a tarde, em direção a São Paulo.

Manifestantes contra a nomeação de Lula como ministro se concentram em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília (Foto: Alexandre Bastos/G1)Manifestantes contra a nomeação de Lula como ministro se concentram em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília (Foto: Alexandre Bastos/G1)
"Nós mandamos fazer três faixas de última hora, assim que saiu a indicação do Lula", afirmou a internacionalista Paola Comin, que foi para a frente do Palácio do Planalto protestar contra a nomeação de Lula para a Casa Civil

Para o produtor cultural Márcio Apolinário, a maioria dos manifestantes antigovernistas é formada por assessores parlamentardes e "pessoas inconformadas com a derrota na eleição". "Ele [Lula] tem a experiência da gestão pra ajudar a articular a governar e ajudar o país a sair dessa crise."

Manifestantes seguram faixa com os dizeres "o povo pediu impeachment e não parlamentarismo" (Foto: Alexandre Bastos/G1)
Manifestantes seguram faixa com os dizeres "o povo pediu impeachment e não parlamentarismo"
(Foto: Alexandre Bastos/G1)
"É muito importante a manifestação porque, depois de tantos milhões de pessoas terem ido à rua hoje, nós vemos praticamente um golpe no Brasil", afirmou a servidora pública Joelma Alves, que disse ter ido ao protesto após sair da academia.
"Este país é feito com a dignidade de cada cidadão. Se o povo não se revoltar em um momento desse, em que momento se revoltará? O ex-presidente Lula virou ministro, e é investigado. Será que a presidente contrataria um empregado que fosse investigado pela polícia?", diz o servidor público Helton Barros.

"Vim protestar contra essa sacanagem que está sendo feita com o povo. A gente trouxe 6 milhões às ruas do Brasil no domingo para, três dias depois, a persistente indicar para a Casa Civil um investigado por corrupção", afirmou o empregado público Rafael Dezan.

Durante o protesto, funcionários do Planalto observavam a multidão pelas janelas do quarto andar da sede do Executivo. No andar funciona o gabinete do chefe da Casa Civil. O gabinete da presidente Dillma fica no terceiro andar.

Um carro de som foi instalado no Eixo Monumental, na via que foi fechada pelos manifestantes. Em coro, os participantes do ato cantaram o Hino Nacional.

Um drone sobrevoou a manifestação em frente ao Palácio do Planalto. A Polícia Militar informou que notificou a Aeronáutica, que deve identificar o dono do aparelho. A área é de segurança nacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário