sábado, 30 de março de 2013

DESOCUPAÇÃO DAS BARRACAS DO TREVO ESTÁ MANTIDA

Dr Iron Miranda fala sobre a desocupação ao nosso blog :







Iron Miranda Anjos Miranda

Palavras do Promotor de Justiça de Taquaritinga do Norte

 Fora ajuizada ação objetivando suspender temporariamente a desocupação da área, mas teve sua liminar INDEFERIDA pelo Juiz Rommel Patriota, conforme informação prestada pelo próprio magistrado nesta manhã, por telefone. Assim, está MANTIDA a desocupação da área.

A ação fora proposta pelos ocupantes da área invadida e a decisão da Justiça foi prolatada ainda na quarta feira, no fim do dia. Esperamos de todos os envolvidos no processo, cooperação, porque será feita a desocupação da área, conforme razões já exaustivamemte apresentadas desde o ano de 2011.

 Por fim, não acreditamos na reversao da decisão judicial. Todavia, ainda que se concedida será com o propósito de dar aos ocupantes alguns dias a mais (não meses) para retirarem seus pertences e, inclsive, material empregado nas construções, assim a desocupação será realizada.

 A intervenção do MPPE se faz necessária porque o interesse é público, de toda a cidade de Taquaritinga do Norte, e nao apenas dos poucos interessados. Embora o processo tenha se originado em 2011, com reuniões com todos os interessados, objetivando atender a uma lei estadual, sem descurar da questão urbana, hoje, tambem é reivindicação do DER, que pretende desocupação da area para execução de projeto de alargamento da PE 130.

Mensagem de Páscoa do Professor Marcos Augusto


Sua proposta de vida não foi atendida por muitos.
Condenaram este homem e crucificaram-no ignorando todos os seus propósitos de um mundo melhor.
Houve dor, angústia e escuridão.
Por três dias o sol se recusou a brilhar, a lua se negou a iluminar a Terra, até que o terceiro dia a vida acontecia.
A páscoa existe para nos lembrar deste momento inigualável chamado ressurreição.
Ressurreição do sorriso, da alegria de viver, do amor.
Ressurreição da amizade da vontade de ser feliz.
Ressurreição dos sonhos,  das lembranças.
E de uma verdade que está acima dos ovos de chocolates ou até dos coelhinhos da páscoa.
Cristo morreu, mas ressuscitou.
E fez isso somente para nos ensinar a matar os nossos piores defeitos e ressuscitar as maiores virtudes sepultadas no íntimo de nossos corações.
Que este seja o verdadeiro da minha, da sua, da nossa Páscoa, que possamos encontrar amor, carinho, paz, fraternidade, companheirismo, porque isso sim é o verdadeiro sentido da Páscoa.
Feliz Páscoa para todos os meus familiares, alunos, e amigos.


Professor Marcos Augusto !

PAIXÃO DE CRISTO EM TAQUARITINGA DO NORTE


Paixão de Cristo supera todas as expectativas


Encenar a mais bela das histórias, passando para uma grande plateia presente ensinamentos de Jesus Cristo através do espetáculo da Paixão de Cristo é, sem sombras de dúvidas, uma grande missão que em Taquaritinga vem sendo tirada de letra anualmente pelos integrantes do Grupo Teatral Fênix - Sociedade Teatral de Taquaritinga do Norte, que pelo décimo primeiro ano encenam com maestria o drama vivido por Jesus Cristo.


O final da Praça Antônio Pereira ficou pequeno para o grande público que foi assistir na noite da sexta-feira santa (29/03) a encenação, desafiando dessa forma o friozinho que deu o ar da graça e uma chuvinha fina que não fez ninguém arredar o pé.   

O grupo que é amador em sua totalidade, mostrou profissionalismo e realizou a melhor apresentação dos últimos anos, agradando o público presente e mantendo esta tradição trazida para Taquaritinga por padres no século passado que encenavam os “dramas da Paixão de Cristo” e atraiam multidões para a igreja matriz de Santo Amaro.
 Participaram da peça cerca de 70 atores e figurantes, onde os papéis de maior destaque foram encenados pelos atores que interpretaram Jesus (Saulo Israel), Maria (Manuella Araújo), Judas (Rodrigo José), Pilatos (Flávio Ricardo) e Herodes (Sérgio Douglas). A direção ficou sob a batuta de José Waydson e Brayner Emanoel e Celso Ricardo assinou a coordenação geral do evento que superou todas as expectativas e se consolidou definitivamente no calendário cultural do município.

 Satisfeito com o sucesso do evento, o prefeito Evilásio Araújo destacou a importância deste espetáculo: “É muito importante ver estes jovens, unidos pela fé, proporcionarem ao grande público presente um espetáculo desta magnitude. Parabenizo todo o grupo teatral Fênix e aqueles que acreditaram neste importante projeto cultural”.


O PODER DA RESSURREIÇÃO DE CRISTO


O Poder da Ressurreição de Cristo

O nosso Salvador não tinha que ser apenas perfeitamente sem pecado para poder pagar pelos pecados dos outros – ele tinha que ser infinito. Ninguém, a não ser Deus, poderia satisfazer a justiça dessa forma. Mas a sentença havia sido pronunciada contra ahumanidade. Portanto, Deus, apesar de infinito, não poderia pagar essa pena, a não ser que se tornasse totalmente homem sem deixar de ser Deus. Por isso a necessidade do primeiro e único nascimento virginal.
Os ateus alegam que seria injusto um inocente pagar pelos culpados. Isso seria verdade, não fosse por outra dimensão da Cruz. Para os que crêem, Deus considera a morte e a ressurreição de Cristo como se fosse a deles. Todo aquele que crê sofre uma milagrosa transformação interior que foi prometida por Cristo e que Ele chamou de “nascer de novo” (Jo 3.3-16). Isso não é um clichê, é a realidade.
Pilatos não tinha idéia do que estava dizendo quando apresentou Cristo à multidão agitada:“Eis o homem!” Aquele era o homem como Deus queria que fosse. Paulo o chamou de “o segundo homem” e de “o último Adão” (1 Co 15.45,47). Em outras palavras, desde Adão – criado pela mão de Deus no Jardim, sem contaminação – até Jesus, o último Adão – formado no útero de uma virgem, sem contaminação – não havia ninguém de quem se pudesse dizer: “Eis o homem como Deus queria que fosse”.
“O enorme fardo dos nossos pecados”, que teria mantido a humanidade no Lago de Fogo para sempre, poderia ser suportado pelo Ser infinito na Cruz, onde Ele se colocou entre Deus e o Homem. Se a Justiça Infinita não tivesse sido satisfeita através do pagamento integral dos nossos pecados efetuado por Cristo, Ele não poderia ter saído daquele sepulcro.
“Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens. Mas, de fato, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem” (1 Coríntios 15.19-20).
A penalidade para o pecado é ser banido eternamente da presença de Deus e de todo o seu universo e lançado no exílio no Lago de Fogo. Esse é o castigo determinado pela Suprema Corte de Deus para a alta traição contra o Criador de todas as coisas. Um dos maiores horrores do Lago de Fogo será o fato de que mesmo naquele lugar de tormento os que odeiam a Deus não conseguirão escapar dEle. Ele estará lá, na consciência dos perdidos, consciências que não poderão mais se esconder atrás de nenhuma desculpa. Não haverá como fugir da verdade que eles rejeitaram e que os atormentará eternamente. Davi afirmou:“Se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás” (Sl 139.8).
Nenhum ser finito poderia pagar a penalidade exigida pela infinita justiça de Deus. Nenhum ser humano que tentasse pagar por seus próprios pecados poderia dizer finalmente, como exclamou Cristo em triunfo na Cruz: “Está consumado! A dívida foi paga”.  Mas o preço tinhaque ser pago integralmente. De que outro modo os portões da justiça se abririam?
No Livro de Jó, temos uma noção da verdadeira luta entre Satanás e Deus pelo domínio do Cosmo. “Num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles” (Jó 1.6). Essa narrativa espantosa nos dá uma idéia do que está envolvido na batalha entre Deus e Satanás. É um conflito de proporções cósmicas pelo controle do universo, e o homem é o prêmio que ambos os lados desejam. É uma batalha bem real, cujo objetivo é conquistar o coração e a afeição do homem. Mas é bom lembrar que não há nenhuma garantia de que Deus triunfará em cada caso individual. Com o dom do livre arbítrio, cabe a cada ser humano escolher de que lado ficará nessa batalha.
Os cristãos têm um papel fundamental na derrota final de Satanás: “Eles, pois, o venceram [a antiga serpente, que se chama Diabo e Satanás – Ap 12.9] por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida” (Ap 12.11). Com o amor de Cristo em nosso coração, seguimos o exemplo que Ele mesmo deixou para nós: “Pois ele, quando ultrajado, não revidava com ultraje; quando maltratado, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga retamente” (1 Pe 2.21-25).
Satanás continua a entrar na presença de Deus desafiadoramente, como fazia na época de Jó. Como podemos ter certeza disso? Pelo fato de que ele ainda acusa os irmãos diante do trono de Deus dia e noite, e continuará fazendo isso até o fim (Ap 12.10). Como já dissemos certa vez, e sempre é bom repetir, Satanás é como um presidente no fim do mandato. Ele ainda pode andar livremente pelos corredores do poder e tem bastante influência por trás dos panos. Ele ainda não foi expulso do céu, mas esse dia está chegando:
“Houve peleja no céu. Miguel e os seus anjos pelejaram contra o dragão. Também pelejaram o dragão e seus anjos; todavia, não prevaleceram; nem mais se achou no céu o lugar deles. E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos” (Ap 12.7-9).
Como Satanás será expulso no final? Existe um velho hino que expressa com simplicidade e beleza o que a Escritura retrata:
Em fraqueza, como um derrotado, Ele conquistou a coroa da vitória; Permitindo que pisassem nele, colocou todos os nossos inimigos sob seus pés. Ele abateu o poder de Satanás; Feito pecado, derrotou o pecado. Curvou-se ante o sepulcro, destruiu-o também; e, ao morrer, matou a morte.
Satanás não consegue entender como Cristo, com brandura e aparente fraqueza, pôde triunfar sobre ele. Ele fica confuso com tudo que diz respeito à Cruz. Primeiro, ele inspirou Pedro para impedir Cristo de ir para a Cruz: “Tem compaixão de ti, Senhor; isso de modo algum te acontecerá” (Mt 16.21-22). Sabemos que Satanás inspirou Pedro por causa da resposta de Cristo: “Arreda, Satanás!” Depois, ele inspirou Judas para entregar Jesus aos rabinos para que eles pudessem conseguir Sua crucificação: “Entrou nele Satanás” (Jo 13.27). Até hoje, Satanás não entendeu nada.
“Na tua presença há plenitude de alegria, na tua destra, delícias perpetuamente” (Sl 16.11).
Na minha opinião, Satanás realmente acha que pode sair vencedor dessa batalha pelos corações e mentes da humanidade. E por que não? Ele oferece exatamente aquilo que treinou o homem para cobiçar: riqueza, bens, prazer hedonista, sexo livre, popularidade, fama, drogas e álcool em abundância, satisfação de todos os seus desejos sensuais. Mas, apesar disso, multidões preferem seguir a Cristo, embora Ele ofereça o ódio e a rejeição do mundo, com perseguição e sofrimento – mas também a eternidade em sua presença, onde há felicidade verdadeira: “Na tua presença há plenitude de alegria, na tua destra, delícias perpetuamente” (Sl 16.11).
E o que acontece com os que fazem a escolha errada e preferem juntar-se a Satanás em sua traição? Deus não tem prazer em castigar os perversos (Ez 33.11), mas a punição de cada um é de acordo com seu crime. Quando lemos o que os líderes ateus dizem a respeito de Deus em flagrante e desafiadora rebeldia, temos certeza de que eles arrancariam Deus de Seu trono se pudessem. Eles odeiam a Deus. Sem dúvida, o tormento eterno no Lago de Fogo por causa de sua traição será a colheita daquilo que eles mesmos semearam.
Veja o que disse Richard Dawkins, líder do movimento do Novo Ateísmo, num debate com John Lennox, um cristão fervoroso e também professor de Oxford, cientista com dois Ph.D.s e que, em seu comentário final, deu testemunho de sua fé em Cristo e na ressurreição de nosso Senhor:
“Sim, bem, esse pedacinho final” – disse Dawkins, com os lábios encurvados de desprezo, a voz gotejando veneno – “entrega o jogo todo, não? Toda aquela história de ciência e física... tudo isso é muito grandioso e maravilhoso, e então, de repente, voltamos à ressurreição de Jesus. Isso é tão insignificante, tão trivial, tão local, tão sem imaginação –  tão indigno do universo”.
Mas, para Deus, a Ressurreição foi a maior demonstração de Sua majestade e poder. Que lamentável exibição do ódio mortal que corrói Dawkins! Esse pagão, que obviamente adora a criação ao invés do Criador (Rm 1.21-23), está espumando de raiva. Essa manifestação de seu ódio a Deus vai zombar dele eternamente (Pv 1.20-33), enquanto os céus ressoarão com o eterno mas sempre renovado hino de louvor a Deus e ao Cordeiro: “Digno é o Cordeiro que foi morto de receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor”. 

PAIXÃO DE CRISTO EM FAZENDA NOVA



Katherine CoutinhoDo G1 PE
   A irmã Maria Adir morou boa parte da vida em Roma, na Itália, mas atualmente está em São Paulo (Foto: Luka Santos/G1)Irmã Maria Adir morou boa parte da vida em Roma, na Itália, mas atualmente está em São Paulo (Foto: Luka Santos/G1)
O primeiro espetáculo da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém foi apresentado na cidade teatro construída no distrito de Fazenda Nova, no Brejo da Madre de Deus, Agreste de Pernambuco, no ano de 1968. Os cenários ainda não estavam todos prontos, mas a peça já encantava o público. Alguns dos espectadores dos primeiros anos do espetáculo não deixam de vir, sempre que podem, conferir a apresentação. Neste ano, o 'Jesus pernambucano', interpretado por José Barbosa, foi elogiado pelo público.
A cada dia, quase dez mil pessoas percorrem os cem mil metros quadrados do teatro, circulando pelos nove palcos, acompanhando a encenação dos últimos dias de Jesus Cristo. Os portões abrem às 16h e o espetáculo começa apenas às 18h, quando já está escuro.
A irmã Maria Adir morou boa parte da vida em Roma, na Itália, mas atualmente está em São Paulo. Após ouvir falar do espetáculo, aproveitou que uma amiga mora em João Pessoa, na Paraíba, para enfrentar a estrada e assistir. “Já tinha ouvido falar, amigos me contaram e eu tenho curiosidade. Até por ter morado muito tempo em Roma, quero ver de perto”, conta a religiosa, que chegou cedo, com máquina fotográfica em punho, registrando todos os detalhes.
O pastor evangélico Ygor Porfírio organizou um grupo com quase 20 pessoas para viajar pouco mais de três horas de viagem de João Pessoa até Fazenda Nova. “Metade do grupo já assistiu, mas há mais de 15 anos. Eu mesmo nunca vi, só tinha ouvido falar. Um conhecido meu trabalha com turismo e sugeriu a viagem, nos organizamos e viemos”, conta Porfírio.
Amigos vieram em caravana de João Pessoa, na Paraíba (Foto: Luka Santos/G1)Amigos vieram em caravana de João Pessoa, na Paraíba (Foto: Luka Santos/G1)
O comerciante Luciano Araújo vem do Recife há 12 anos para vender lembrancinhas na entrada da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém. “Eu alugo uma casa aqui perto. Vale a pena, vendo quase tudo sempre, basta conseguir uma boa localização. Além disso, já é costume vir, assisto todo ano à Paixão, é muito bonita”, acredita Araújo, que aproveita que quase ninguém fica do lado de fora durante a apresentação para poder ir assistir.
Quem também aproveita a brecha de movimentação é a comerciante Geisiane da Silva Santos. Há quatro anos, ela investe aproximadamente R$ 2.500 para vir de Caruaru para Fazenda Nova vender roupas de algodão natural, sempre obtendo lucro. “E ainda aproveito para assistir [à peça], já vi duas vezes. Você entra logo no comecinho, depois que todo mundo entrou, mas no fim, tem que ficar próximo a saída, para vir correndo para cá e voltar a trabalhar”, explica Geisiane.

Ao longo das três horas de apresentação, o público, ansioso, repete o procedimento de correr para o próximo cenário em busca do melhor lugar - são nove palcos em uma área de cem mil metros quadrados. O coordenador técnico Reginaldo Zagnolo veio com a família de Osasco, na Grande São Paulo, passar férias em
 Pernambuco e aproveitou para conhecer o espetáculo de Nova Jerusalém. “É muito divulgado, a gente tinha curiosidade. Eu já vi uma no interior de São Paulo que é em uma pedreira e o público fica sentado na arquibancada. Aqui é diferente. Além disso, a gente sabe que muitas outras peças levaram conhecimentos daqui para fazer as suas Paixões”, afirma Zagnolo, com a filha Rebecca, de quatro anos, no colo.Espetáculo

Quando as luzes diminuem para os profetas da primeira cena iniciarem a apresentação, inúmeras câmeras e celulares são apontados para o palco. Apesar dos avisos para não utilizar flash, a sensação é de que raios estão caindo. “Eu não entendo, a pessoa vir assistir uma coisa tão bonita e ficar vendo por uma telinha. Incomoda um pouco, mas é a gente tentar não prestar atenção e olhar mais pro palco”, reclama a aposentada Juracir Cunha, que veio de Caruaru.

A cena em que Jesus é açoitado e depois carrega a cruz até o calvário é acompanhada de perto pelo público, mas é o momento da morte e da ressurreição, com a aparição final, que mais emociona. Vindo de Forteleza, no Ceará, o engenheiro José Maria Arruda tinha os olhos cheios de lágrimas ao fim do espetáculo. “É muito bom mesmo, me emocionou”, admite o engenheiro.
Saida de Jesus do tumulo arrepia dizem espectadores (Foto: Luka Santos/G1)Saida de Jesus do tumulo arrepia dizem espectadores (Foto: Luka Santos/G1)
A médica Laura Correia já havia assistido três vezes a Paixão em Fazenda Nova. Dessa vez, veio acompanhada do namorado, o também médico André Lafayette, que nunca tinha visto. Embora goste da peça inteira, a parte favorita é a de Judas, do dilema dele antes de se enforcar. “Gosto muito mesmo. A peça nunca é totalmente igual de um ano para o outro, eles sempre mudam alguma coisa”, explica Laura.

O representante comercial Alysson Alves veio de João Pessoa com a caravana organizada pelo pastor Porfírio. Ao fim, estava completamente encantado. “Tem como não gostar? É uma história linda, a ressurreição é o ápice do espetáculo”, afirma o representante comercial, que pretende repetir outras vezes a viagem para assistir à peça em outros anos.
Vindo desde 2011, a funcionária pública Luciane Paiva está tentando voltar todos os anos. “A grandiosidade, o encanto, é maravilhoso. A gente precisava era de um Jesus pernambucano, ele estava perfeito. Acho que o que precisamos é de mais atores aqui de Pernambuco mesmo”, opina a funcionária pública, que veio com a família do Recife para assistir à Paixão.
Aos 48 anos, o autônomo Alexandre Barros perdeu as contas de quantas vezes já assistiu ao espetáculo de Nova Jerusalém. “A primeira vez que vim, tinha 12 anos. A estrada era horrível, mas valia a pena. Tinha vindo com meus pais. Não venho todo ano, venho um ano sim, dois não”, conta Barros, que elogiou os atores locais também. “Não é que os de fora sejam ruins, mas os daqui passam mais sentimento”, opina.
Depois de 30 anos sem vir a Fazenda Nova para a Paixão de Cristo, a professora aposentada Gracita Rodrigues veio do Recife com o filho, Rogério Coutinho, assistir ao espetáculo. “Ele era um bebê quando estive aqui da outra vez. Acho que o cenário do bacanal foi o que mais mudou, mas muita coisa é como eu me lembrava”, conta Gracita, que sentiu falta apenas de uma cena. “Tinha uma caminhada de Jesus pelo meio do público, com uma música de Roberto Carlos, que era linda. É uma pena que tiraram”, acredita a professora aposentada.
Atores agradecem ao público no final do espetáculo (Foto: Luka Santos/G1)Atores agradecem ao público no final do espetáculo (Foto: Luka Santos/G1)
Paixão de Cristo
O espetáculo deste ano fica em cartaz até o sábado (30). Com direção de Carlos Reis e Lúcio Lombardi, o espetáculo que conta os últimos dias de Jesus tem mais de 500 atores e figurantes. No elenco, estão os atores globais Marcos Pasquim, interpretando o rei Herodes; Carol Castro dando vida a Maria Madalena, e Carlos Casagrande fazendo o papel de Pilatos. Entre os pernambucanos, José Barbosa faz Jesus pela segunda vez e Luciana Lyra interpreta Maria.
Quem sai do Recife de carro ou de ônibus tem duas opções: a BR-232 e a PE-90. Para quem vem de outros estados, há as BRs 316, 116, 304, 101, 235, 110 e 104. Os ingressos estão à venda no estande da Paixão de Cristo, localizado no 1° andar do Shopping Center Recife, próximo aos cinemas. Também é possível comprar nas bilheterias da cidade-teatro e no escritório de Nova Jerusalém, pelo telefone (81) 3732.1129. Os ingressos variam  de R$ 60 a R$ 90 e podendo ser pagos em até 12 vezes no cartão de crédito, se comprados no site oficial

sexta-feira, 29 de março de 2013

BODE GAIATO O FENÔMENO

Bode Gaiato agora vai invadir o seu Rádinho!

No dia 15/04 ás 18:00 h estréia o Programa do Bode Gaiato, que será transmitido de Seg. á Sex. ao vivo pela Farol Fm 90.5 Taquaritinga Do Norte - Pe pelo site: 

www.farolfm.com.br

Aguardem!








Multidão participa da Via Sacra em Taquaritinga



 
A fé da população da Dália da Serra ficou evidenciada em mais uma importante celebração religiosa: a via sacra da sexta-feira da Paixão (29/03), evento que ocorreu pela terceira vez através das escadarias do Morro da Cocada, roteiro turístico e religioso da cidade, e atraiu cerca de dois mil fiéis que acompanharam com orações e cânticos religiosos as 15 estações comandadas este ano pelo Padre Rafael Silva, de Recife, numa celebração de fé que contou com a participação do terço dos homens de várias cidades vizinhas e também de outros movimentos católicos.   
 
 
 
 
Desde as primeiras horas da madrugada, dezenas de católicos se dirigiam ao salão paroquial, local marcado para a saída do cortejo que percorreu as ruas centrais da cidade sob os primeiros raios de sol, numa demonstração de fé que a cada ano se torna maior e fortalece esta tradição secular em Taquaritinga do Norte.  
 
 

 

 
O Morro da Cocada desde 2011 é o local da Via Sacra, que era antes por uma estrada de terra, tendo esta localidade sido contemplada pelo Governo Municipal com a construção da via sacra em tamanho natural, onde são retratados os últimos instantes de Jesus Cristo através de 60 esculturas que foram confeccionadas em concreto, cimento e tela de aço pelo artista plástico Eraldo Ramos, tendo esta comunidade também sido beneficiada com a construção de 550 metros de calçamento, saneamento, drenagem e vários muros de arrimo, obras estruturadoras que proporcionaram a inclusão social da população local e facilitaram o acesso ao mirante do Cruzeiro.
 
 

 
O prefeito Evilásio Araújo acompanhou toda a via sacra como faz todos os anos. “A Semana Santa é um período de reflexão. É uma época onde o sofrimento e a morte do nosso salvador reaviva em todos nós sentimentos como a fraternidade e a importância de fazermos o melhor por nossos semelhantes”, declarou o gestor.
 

REFLITA


O homem sentado ao chão, vestido de branco, é um pastor cristão que vive na Síria, Oriente Médio. Pela manhã, ele saiu para anunciar o Evangelho e, quando voltou para casa, à tarde, encontrou todos os seus filhos mortos; os quatro filhos assassinados por muçulmanos.

Perguntaram a ele, diante dos corpos, se ele deixaria de pregar a Cristo. Ele respondeu: "Isso não é comigo. Ninguém vai calar a minha voz. Falarei da palavra do Senhor. Mais do que nunca, vou anunciar Cristo e Sua Salvação."

"Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus; bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós." (Mateus 5:10-12)

quinta-feira, 28 de março de 2013

VEREADOR DEMAR FOI ASSALTADO, ASSALTANTES LEVARAM SEU VEÍCULO





O CARRO DE DEMAR É SEMELHANTE A ESTE DA FOTO







BARRAGEM DE QUEIMADAS EM TAQUARITINGA DO NORTE ESTÁ QUASE SECA




FOTOS : VALMIR MANOEL
FACEBOOK


Prefeitura distribuiu peixes com famílias carentes


A Prefeitura de Taquaritinga do Norte, através da Secretaria de Ação Social promoveu na tarde desta quarta-feira (27/03) a distribuição de peixes as famílias carentes do município, mantendo uma tradição e proporcionando a inclusão deste item alimentício nos lares menos abastados da Dália da Serra durante a semana santa.
Os peixes foram adquiridos pela prefeitura e também através de doação do Deputado Estadual Diogo Moraes e foram distribuídos na sede do município, nos bairros Silva de Cima e Silva de Baixo; nos Distritos de Gravatá do Ibiapina e Pão de Açúcar; nos povoados de Vila do Socorro, Jerimum, Algodão, Placas, Mateus Vieira e nas comunidades rurais de Poço da Cachoeira, Jaburu de Cima, Jaburu de Baixo, Bandeira, Monteiro, Areias, Pegas, Tatus, Mangas, Vila Alta, Pé de Serra, Situação, Baraúna Furada, Mulungu, Açudinho, Pedra Preta, Serra dos Bois, Xavier, Cardoso, Lagoa do Jucá, Maracajá, Açude velho, Pé de Serra do Açude Velho, São Miguel, São Braz, Cumbe, fazenda Bom Nome, Oiti, Gameleira e Assentamento Nova Esperança, cobrindo assim quase todas as comunidades de Taquaritinga do Norte.
Na sede, a distribuição ocorreu na secretaria de Ação Social, onde centenas de pessoas se acotovelaram e todos foram contemplados, com esta ação repetindo o sucesso de anos anteriores.
Estiveram presentes na distribuição as secretárias municipais Mauricéa Gomes (Ação Social) e Lurdinha Malaquias (Finanças) e a Coordenadora da Mulher Elizabete Medeiros (Beta), que foram assessoradas na distribuição por funcionários de diversas secretarias.

O prefeito Evilásio destacou a importância desta ação: “A páscoa é um momento de reflexão e de comunhão com Deus. Esta iniciativa da doação de peixes proporciona a inclusão deste importante alimento nos lares dos mais carentes durante a semana santa, sendo uma das mais significativas e tradicionais no segmento social de nosso município”.

Frei Damião é considerado venerável pelo Vaticano e fica mais perto da beatificação

Uma decisão do  Papa Francisco  deixou Frei Damião de Bozzano, missionário que atuou no Nordeste no século 20, mais perto da beatificaç...