domingo, 1 de fevereiro de 2015

Prefeito de Paulista faz tatuagem nas costas em homenagem a Eduardo Campos e Miguel Arraes.




O prefeito de Paulista, Júnior Matuto, não resistiu à tentação.
Depois que seu motorista particular Robson Rocha Dornelas colocou, na perna, nesta semana, uma tatuagem em homenagem ao ex-governador Eduardo Campos, o chefe do Executivo municipal colocou em prática a prova de admiração eterna, mas acrescentando ao esboço a figura do ex-governador Miguel Arraes, avô de Campos.
O ex-ajudante de ordens trabalhava no Palácio do Campo das Princesas, quando Eduardo Campos e aliados o incentivaram a entrar para a atividade política. Acabou elegendo-se prefeito da cidade com o apoio do ex-governador, em 2012.

Assembleia Legislativa descumpre lei e inaugura obra inacabada

Placa indica inauguração no dia 30 de janeiro, mas o prédio só será ocupado no dia 22 de fevereiro / Alexandre Gondim/ JC Imagem

Placa indica inauguração no dia 30 de janeiro, mas o prédio só será ocupado no dia 22 de fevereiro

Alexandre Gondim/ JC Imagem

Local responsável pela elaboração e aprovação das leis estaduais, a Assembleia Legislativa de Pernambuco protagonizou, ontem, um episódio de desrespeito à legislação. Sob o comando do presidente da Casa de Joaquim Nabuco, Guilherme Uchoa (PDT), os deputados estaduais eleitos e reeleitos participaram da inauguração do anexo II da Alepe, que não está foi concluído. A fachada do edifício, inclusive, ainda não foi feita. O detalhe é que, no ano passado, os parlamentares aprovaram uma lei que determina a proibição da inauguração de obras inacabadas. 
A reforma da Alepe teve início em 2013, sob iniciativa da atual mesa diretora. Havia uma promessa, feita internamente, para o equipamento ser entregue antes do término do biênio. Por isso, mesmo sem estar concluído, o prédio foi entregue pelo deputado Guilherme Uchoa, que vai disputar a presidência novamente. No primeiro andar, onde foi feita a apresentação do prédio à imprensa, os gabinetes já estão com aparência de que estão prontos. No entanto, uma das paredes principais do prédio ainda não foi feita.
Para a inauguração, foi instalada uma fachada feita de lona. Além disso, o piso do novo prédio está sem o rejunte. A reportagem do Jornal do Commercio teve acesso ao segundo andar e constatou um cenário ainda pior. O elevador não tem portas, as instalações elétricas não estão finalizadas e há canos da parte hidráulica expostos. A expectativa é que os deputados só ocupem o novo prédio a partir do dia 22 de fevereiro. 
Questionado sobre o assunto, inicialmente o presidente da Assembleia negou que estivesse inaugurando o novo prédio. “Eu falei em inauguração alguma vez aqui?”, disse Uchoa. Minutos antes, o deputado havia descerrado a placa de inauguração com a data de ontem. “Vamos retirar a placa”, disse. 
Uchoa também negou que a obra estivesse inacabada. “Todos os deputados e a imprensa estão vendo o prédio pronto. O que é que está faltando aqui? Se só puder botar a placa quando o deputado sentar e der a primeira descarga...”, ironizou. Em seguida, Uchoa tentou justificar a inauguração. Ele contou que queria fazer uma homenagem ao deputado Gustavo Negromonte (PMDB), que não foi reeleito. O novo prédio terá o nome de Edifício João Negromonte, pai de Gustavo. “Se gratidão for crime, eu quero ser condenado”, disse. 
De autoria do deputado Daniel Coelho (PSDB), o projeto de lei 1584/2013, diz que “é vedado ao Poder Público Estadual realizar solenidade, cerimônia ou qualquer ato para inauguração de obras públicas incompletas”. O prédio inaugurado ontem custou R$ 37 milhões e abrigará os gabinetes de todos os deputados, inclusive presidência e primeira-secretaria. No segundo semestre, será inaugurado um novo prédio, onde ficará situado o plenário. 

sábado, 31 de janeiro de 2015

Estudante de 14 anos faz pré-matrícula para cursar medicina


José Victor Conseguiu na Justiça o direito de fazer prova de proficiência. 
Ele teve média final de 751,16 pontos no Enem e 960 na redação.

Do G1 SE
José Victor posa com aprovados em medicina  (Foto: Reprodução/TV Sergipe)José Victor posa com aprovados em medicina (Foto: Reprodução/TV Sergipe)
O estudante de Itabaiana José Victor Menezes Teles, de apenas 14 anos, fez a sua pré-matricula para o curso de medicina na Universidade Federal de Sergipe (UFS), na  manhã deste sábado (31), para ocupar a vaga conquistada após ser aprovado pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu). A seguna etapa da matrícula consiste na apresentação do candidato para a sua efetivação, o que será realizado na primeira semana de aula prevista para o dia 30 de março.
José Victor recebe trote e entra na brincadeira  (Foto: Reprodução/TV Sergipe)José Victor recebe trote e entra na brincadeira (Foto: Reprodução/TV Sergipe)
Na ocasião, ele foi recebido por outros alunos e entrou no clima de festa dos estudantes. “Nunca estive tão feliz na minha vida. Agora eu estou esperando a formatura. Eu sempre sonhei com isso aqui. Agora estou realizado”, disse Victor após fazer a primeira etapa da matrícula.

Sobre o fato de ter se tornado uma espécie de celebredidade após a exposião na mídia ele resume: "É tudo muito novo. Mas daqui a pouco me esquecem e volto a minha rotina normal. Até lá vou recebendo o carinho das pessoas que nem me conhecem e isso é bacana".
José Victor realiza sonho de ser aprovado para medicina na UFS (Foto: Reprodução/TV Sergipe)José Victor realiza sonho de ser aprovado para medicina na UFS (Foto: Reprodução/TV Sergipe)
Ele estava cursando o primeiro ano do ensino médio e não poderia cursar a faculdade – o Enem só dá certificação a alunos com mais de 18 anos. Porém, ele conseguiu na Justiça o direito de fazer uma prova de proficiência aplicada pela Secretaria de Estado da Educação (Seed) na quarta-feira (28), foi aprovado e recebeu o certificado de conclusão do ensino médio para poder fazer a matrícula na universidade.
O estudante cursava o primeiro ano do ensino médio na Escola Estadual Murilo Braga. Ele teve média final de 751,16 pontos no Enem e fez 960 pontos na prova de redação. Com o resultado, José Victor conquistou uma das 100 vagas para o curso de medicina da UFS – e ficou em 7º no grupo inscrito, de escolas públicas.
Preparação
José Victor fez o Enem no fim do ano passado e decidiu entrar na Justiça para ter o direito de usar o resultado para ingressar na universidade. O garoto diz que sempre quis ser médico e sabia que, para isso, teria que se esforçar.
José Victor carrega documentos para pré-matricula (Foto: Reprodução/TV Sergipe)Estudante pronto para pré-matricula
(Foto: Reprodução/TV Sergipe)
Ele estudou assuntos que ainda não viu na escola para fazer o Enem, que tem conteúdos de todo o ensino médio. José Victor conta que passava uma média de 3 horas por dia resolvendo questões de provas anteriores do Enem.

“Passei o ano passado estudando para o Enem, além do conteúdo dado em sala de aula. Sem dúvida a técnica para estudar e armazenar o conhecimento foram decisivas para o meu desempenho. É preciso saber organizar o tempo e também se preparar para saber como será a prova no dia”, afirma.
A disciplina e o interesse pelo conhecimento surgiu em casa com o incentivo dos pais, que são professores da rede estadual de português e inglês. Eles ajudaram José Victor a se organizar.

“Procurei vídeo-aulas na internet, livros complementares e fui a algumas aulas do curso pré-vestibular da Secretaria de Estado da Educação (Seed) por fora, mesmo sem estar matriculado, como aluno assistente”, diz. Também no ano passado, o estudante foi medalhista na Olimpíada Brasileira de Matemática de Escolas Públicas (Obemep
)

MOTOTAXISTA COMETE SUICÍDIO


Um homem suicidou-se na manhã desta sexta feira (30) no Sítio Lajes dos Cadetes na zona rural de Lajedo no Agreste, Geraldo Fernandes da Silva, 45 anos, amarrou uma corda em uma árvore e cometeu o suicídio por meio de enforcamento.
O motivo que levou o mototaxista a cometer tal ato é desconhecido, a Polícia Civil realizou o levantamento cadavérico e encaminhou o corpo para o Instituto de Medicina Legal em Caruaru.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

TERROR : BANDIDOS ARMADOS INVADEM CIDADE E DINAMITAM CAIXAS DE AGÊNCIAS BANCARIAS

Agência do Banco do Brasil de Correntes-agresteviolento.com.br
Agência BBCerca de 20 homens fortemente armados invadiram na madrugada desta sexta-feira (30), a cidade de Correntes no Agreste, e dinamitaram os caixas eletrônicos das agências do Banco do Brasil e Bradesco.
Agencia do Bradesco em Correntes-agresteviolento.com.br
DinamiteA ação durou cerca de 30 minutos e eles usaram quatro caminhões para fechar todos os acessos ao município, sendo dois deles incendiados em cima de uma ponte na BR-424, dificultando a chegada do reforço policial. O pelotão da Polícia Militar  foi cercado pelo bandidos que efetuaram diversos disparos de fuzil, impedindo a saída dos policiais que não ficaram feridos. O bando efetuou cerca de trinta tiros de fuzil nas paredes do prédio. Segundo informações da PM, um casal que seria proprietário dos caminhões roubados para efetuar os bloqueios nas rodovias, foram feridos a bala quando passavam na frente da agência do Banco do Brasil, Centro da cidade. O homem levou dois tiros, passou por cirurgia e não corre risco de morte, a mulher levou um tiro de raspão. Um filho do casal, menor de idade, nada sofreu.
bandidos-explodem-bancos-em-correntes-agresteviolento.com-5.
bandidos explodiram caminhoes na BR-424Várias viaturas foram acionadas para o local onde houve troca de tiros e os bandidos conseguiram fugir tomando destino ao Estado de Alagoas.
Carro da Familia
assalto a banco

Destacamento da PM fuzilado em CorrentesDestacamento militar, crivado de bala.

O bando conseguiu levar uma quantia de dinheiro ainda não informada.
O fato deixou a população local assustada e isolada, uma vez que os caminhões foram usados para bloquear os acessos da cidade.

MARGINAIS SÃO PRESOS E TIRAM ONDA


 Na noite da quinta-feira (29), Policiais Militares da 1ª Companhia do 24º BPM prenderam na cidade de Santa Cruz do Capibaribe, Josué da Silva Rocha, de 18 anos, vulgo “Bidel” e Eliel Silva de Almeida, vulgo “Nequim”, de 22 anos de idade.
 Os acusados foram detidos assim que saiam de um estabelecimento comercial que haviam acabado de assaltar no Bairro Novo em Santa Cruz do Capibaribe.
 Os mesmos foram surpreendidos pelo policiamento e com eles foram encontradas 02 (duas) Pistolas cal 6.35 (beretas), sendo uma delas com numeração raspada, a qual se encontrava em poder do Josué, (02) duas munições de mesmo calibre, 03 (três) aparelhos celulares e a quantia de R$ 316,50 (trezentos e dezesseis reais e cinquenta centavos) referido assalto.
 Os mesmos foram entregues na Delegacia Seccional de Santa Cruz do Capibaribe juntamente com as arma de fogo e os produtos recuperados, onde foram autuados por roubo.

Drogas calamidade pública como diminuir o problema

Drogas calamidade pública como diminuir o problema?


José Antônio de Oliveira – Zé da ENA

As drogas ilícitas, no Brasil e no mundo esta virando calamidade pública.
Fizemos diversas pesquisas e observamos que esta questão esta sendo tratada de forma errada, seja pela Justiça, assim como as formas que estão usando para trata o drogado que,infelizmente é um doente.
A forma de abordagem das foças de polícia e Judiciário está sendo também tratado com modelos que nunca vai resolver o problema, muito pelo contrário, a tendência e se agravar cada vez mais! – É notório que, se prende um traficante, logo aparece dez outros para ocupar o espaço, pois, sendo um negocio tão rentável, com certeza, não vai ser policia ou justiça que vai coibir. Algumas propostas para diminuir o problema, não são nem mesmo paliativas, por exemplo: descriminalizar  as drogas, isto,  não resolve o problema ao contrario pode agravá-lo.
Existe também o fator pouco observado que é os “diversos níveis de traficantes”, neste particular, infelizmente a polícia consegue na maioria das vezes, prender apenas os pequenos, ou seja, os que ás vezes trafica apenas para manter o próprio vício. Em verdade, os maiores são aqueles que nunca aprecem, pois financiam o mercado de forma tão Dissimulada que normalmente nem mesmo os seus financiados descobrem.
Em tudo isto, o pior é que o viciado termina se transformando num doente  infrator, pois, não consegue financeiramente manter o vicio e nem tampouco possui capacidade alguma para tratar por si só.
Na atualidade, a quantidade de viciados esta sendo aumentada em velocidade alarmante, isto devido às facilidades que os empresários do tráfico possuem, para que seus aliciadores tragam novos viciados para comprar seus produtos. Principalmente os mais jovens, de forma confusa buscam a diversão e o sexo sem observarem os problemas que os espreitam e inocentemente caem nas garras dos aliciadores, maiorias são “aliciados sem que percebam”! Neste particular, um dos fatores que contribui a que aconteçam os aliciamentos são as bebidas alcoólicas; na euforia pós-ingestão de álcool acontece que a percepções diminuem e quase nuca percebem que esta sendo enganados, para experimentarem alguma droga pior, muitos experimenta até mesmo sem saber.




Vamos ao que interessa que é como diminuir este câncer social!

Para isto temos que analisar os diversos fatores sendo: em primeiro lugar tratar a vítima desta doença, o viciado; segundo,  as formas e métodos de tratamento; terceiro, os envolvidos nas ações; quarto, como financiar e administrar projeto tão importante para sociedade;quinto envolvimento das autoridades familiares e escolas.
Parece estranho não mencionar formulas para coibir o tráfico, mas, infelizmente este só pode ser de fato coibido, via falta de compradores para seus produtos. O normal é que quando for acabando os compradores a tendência é que estes empresários do ramo percam o interesse e saiam para outros tipos de rendimentos.

O viciado, formas e métodos de tratamento.

Dentro do contexto, o viciado, infelizmente é apenas uma vítima desta farra que “enriquece tantos”. Sendo viciado na droga, torna-se um doente controlado pelo vício e não consegue sair, além de tudo perde por completo todas as referências de responsabilidade social. Pior, é um doente incapaz de tratamentos por vontade própria e por isto, conforme minhas pesquisas, a única maneira de trata-lo é via Clínicas que possa conte-lo. Nas Clínicas, mesmo aparentando são, não deve retorna-lo para os meios sociais antes que termine o tratamento. Já constatado que se não for totalmente  desintoxicado acontece a recaída e logo depois tem que retornar por tempo maior. - Observamos que é importante; durante a contenção do viciado, principalmente nos primeiros meses que não tenha muita presença dos parentes mais próximos, pois, infelizmente o fissuramento pela droga transforma-o em um competente reclamador e muitos pais ou parentes acabam sendo levados na conversa retirando o doente da Clínica.

Os envolvidos nas ações para diminuir ou acabar com a praga!

Só existe uma maneira de acabar ou diminuir para o máximo possível o problema das drogas. Tem que existir um amplo envolvimento da sociedade, autoridades e administradores públicos. Por um lado a sociedade tem que entender que se não envolver com vontade a tendência é que de fato o problema saia de controle. As autoridades e administradores públicos precisam enxergar o fato como sendo algo altamente prejudicial e com amplo prejuízo inclusive financeiro. Não adianta tentar apenas fazer de conta como sempre! O envolvimento e a cura do mal só serão possíveis quando os fatos forem encarados com propósito de usar o que for preciso para tratar os doentes. Sabemos que “as grandes doenças” normalmente só são curadas com remédio de gosto ruim. O envolvimento sociedade, autoridades e administração publica que seja por meio de comissões competentes com a participação de pelo menos dois representantes de cada segmento. Importante que estas comissões não tenham remuneração financeira se houver, infelizmente vira farra, pois, sempre que remunera logo os interesses são deturpados. A formação das comissões que seja, por exemplo: pessoas idôneas sendo representastes do executivo e legislativo municipal, policias civil e militar, clubes de serviços ou maçonaria ou mesmo cidadãos de comprovada idoneidade.
Como financiar e administrar projeto tão importante para sociedade?
Não adianta ficar contando apenas com recursos públicos para resolver este problema, infelizmente à sociedade no geral vai ter que enfiar a mão no bolso e ajudar! A construção de Clínicas e parte da manutenção com profissionais vão ter que serem mantidos pelos governos: Federal, Estadual e Municipal, mas, a sociedade também vai ter que ajudar, pois, só será possível sanar o problema se houver qualidade e além do tratamento, que haja competente orientação e apoio ao viciado. Temos que entender que para ele retornar para os meios sociais com cabeça erguida  e competentes depende de bastante recurço. Os fundos advindos da sociedade podem ser recolhidos, por exemplo; digamos que com um ou dois reais cobrados via conta de agua, luz e mesmo telefone, o que em pouco tempo os fundos recolhidos mais as participações dos governos, com certeza vai ser suficiente para manutenção das clínicas com bons profissionais. Importante: Os fundos doados ou de Governo têm que obrigatoriamente serem administrados por representantes do Judiciário, sociedade, administrativo e legislativo e que os cargos não sejam vitalícios. Importante salientar que as Clínicas tem que necessariamente ter ambientes separados para conter os viciados criminosos e aqueles que ainda não envolveram.

Envolvimento das autoridades familiares e escolas.



Neste contexto tal envolvimento precisa ser tratado com responsabilidade e carinho entre as partes. Sabemos que indivíduos tornam-se viciados, às vezes devido principalmente por insatisfação no meio familiar ou educação mal dirigida por parte dos pais e escolas. Vivemos esta era atual numa sociedade repleta de egoísmo e bombardeio da mídia mostrando que o indivíduo é importante e feliz quando ostenta luxo e glamour! Os pais em grandes maiorias ocupam maior parte do tempo correndo atrás de bens materiais esquecendo que o filho ou filha só tornarão pessoas competentes para a vida. Esquece-se de empenharem para construção do caráter necessário faltando também carinho e respeito. Muitos pais, para suprir suas faltas neste particular, acreditam que se fizer tudo que os filhos desejam esta tudo bem. Pior que muitos pais não possuem a educação ou competência para ensinar aos filhos, a importância do respeitar ao próximo, nem tampouco à propriedade alheia. Sabemos que com esta mania de tudo pode que autoridades e sociedade adotaram, o mundo tornou um desiquilíbrio social de grandes proporções. Para tantos fatores negativos temos que desenvolver programas competentes, onde o conjunto seja capaz de preparar melhor o cidadão de amanhã!

É HOJE .... PROGRAMA EM TEMPO !!!

PROGRAMA EM TEMPO !!

É NESTA SEXTA !!!!


Acompanhe também pela internet através do link 

 O PROGRAMA EM TEMPO NA RÁDIO NOVA GERAÇÃO FM 104.9


PROGRAMA EM TEMPO , O PROGRAMA DE RÁDIO QUE LEVA AS PRINCIPAIS INFORMAÇÕES DA SEMANA , O PROGRAMA É TODA SEXTA, FM 104.9

HORÁRIO DE 12:00 ÁS 2 DA TARDE



APRESENTAÇÃO : MARCOS AUGUSTO 







quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

DROGA CALAMIDADE PÚBLICA : ELEMENTO É PRESO EM TAQUARITINGA


Elemento foi preso em Taquaritinga do Norte- PE, mais precisamente no Distrito de Pão de Açúcar , o individuo estava de posse de 40 papelotes e 3 Trochas de maconha e 3 munições cal.38, o imputado responde pelo nome de Charles. O mesmo foi conduzido até a Delegacia de Taquaritinga do Norte e está preso.


Segure a língua: A arte do silêncio!



download

Certa vez, um homem tanto falou que seu vizinho era ladrão, que o vizinho acabou sendo preso.

Algum tempo depois descobriram que era inocente. O rapaz foi solto, após muito sofrimento e humilhação, e processou o homem.

No tribunal, o homem disse ao juiz:

- Comentários não causam tanto mal…

E o juiz respondeu:

- Escreva os comentários que você fez sobre ele num papel. Depois pique o papel e jogue os pedaços pelo caminho de casa. Amanhã, volte para ouvir sentença!

O homem obedeceu e voltou no dia seguinte, quando o juiz disse: – Antes da sentença, terá que catar os pedaços de papel que espalhou ontem!

- Não posso fazer isso, meritíssimo! – respondeu o homem – O vento deve tê-los espalhado por tudo quanto é lugar e já não sei onde estão!

Ao que o juiz respondeu:

- Da mesma maneira, um simples comentário que pode destruir a honra de um homem, espalha-se a ponto de não podermos mais consertar o mal causado. Se não se pode falar bem de uma pessoa, é melhor que não se diga nada!

MORAL DA HISTÓRIA:

Sejamos senhores de nossa língua, para não sermos escravos de nossas palavras.  (Pádua Campos)

Justiça autoriza estudante de 14 anos a cursar medicina na UFS


victor

O estudante de Itabaiana José Victor Menezes Teles, de apenas 14 anos, conseguiu na Justiça o direito de ocupar a vaga conquistada em medicina na Universidade Federal de Sergipe (UFS) pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

Ele ainda está no primeiro ano do ensino médio e não poderia cursar a faculdade – o Enem só dá certificação a alunos com mais de 18 anos. Porém, o juiz autorizou José Victor a fazer uma prova de proficiência aplicada pela Secretaria de Estado da Educação (Seed) nesta quarta-feira (28).

O estudante passou no teste, recebeu o certificado de conclusão do ensino médio e vai poder se matricular na UFS. “Estou muito feliz e me sinto preparado para o desafio”, comemorou José Victor. As matrículas dos aprovados no Sisu ocorrem nesta sexta (30), segunda (1º) e terça (2).

O estudante cursava o primeiro ano do ensino médio na Escola Estadual Murilo Braga. Ele teve média final de 751,16 pontos no Enem e fez 960 pontos na prova de redação. Com o resultado, José Victor conquistou uma das 100 vagas para o curso de medicina da UFS – e ficou em 7º no grupo inscrito, de escolas públicas.

O adolescentes conseguiu o direito de fazer a prova de proficiência por liminar do juiz titular da 1ª Vara Cível da Comarca de Itabaiana, Alberto Romeu Gouveia Leite.

“Ontem [quarta] ficamos sabendo através do nosso advogado que a liminar foi concedida em favor do José Victor e seguimos com o documento para a Secretaria de Estado da Educação, onde ele fez em seguida uma prova de proeficiência com 120 questões de todas as disciplinas e uma redação. Ele foi aprovado e recebeu certificado do ensino médio que o habilita a fazer matrícula na UFS”, conta o pai, José Mendonça Teles.

A assessoria de imprensa da Seed confirmou que o estudante fez a prova e foi aprovado.

Preparação

José Victor fez o Enem no fim do ano passado e decidiu entrar na Justiça para ter o direito de usar o resultado para ingressar na universidade. O garoto diz que sempre quis ser médico e sabia que, para isso, teria que se esforçar.

Ele estudou assuntos que ainda não viu na escola para fazer o Enem, que tem conteúdos de todo o ensino médio. José Victor conta que passava uma média de 3 horas por dia resolvendo questões de provas anteriores do Enem.

“Passei o ano passado estudando para o Enem, além do conteúdo dado em sala de aula. Sem dúvida a técnica para estudar e armazenar o conhecimento foram decisivas para o meu desempenho. É preciso saber organizar o tempo e também se preparar para saber como será a prova no dia”, afirma.

A disciplina e o interesse pelo conhecimento surgiu em casa com o incentivo dos pais, que são professores da rede estadual de português e inglês. Eles ajudaram José Victor a se organizar.

“Procurei vídeo-aulas na internet, livros complementares e fui a algumas aulas do curso pré-vestibular da Secretaria de Estado da Educação (Seed) por fora, mesmo sem estar matriculado, como aluno assistente”, diz. Também no ano passado, o estudante foi medalhista na Olimpíada Brasileira de Matemática de Escolas Públicas (Obemep). 

Laudo do IC diz que sargento não foi morto por arma de fogo


Relatório do Instituto de Criminalística indica que, em rebelião, militar foi atingido na altura do pescoço por objeto semelhante a foice, facão, machado ou algo do gênero

Publicado em 29/01/2015, às 06h04


Felipe Vieira

fvieira@jc.com.br

 / Foto:  Edmar Melo / JC Imagem

Foto: Edmar Melo / JC Imagem

Segundo a Polícia Científica de Pernambuco, a morte do sargento da Polícia Militar Carlos Silveira do Carmo, 44 anos, ocorrida no último dia 19, no Complexo do Curado, Zona Oeste da cidade, não foi causada por arma de fogo, como se especulava. O laudo da perícia tanatoscópica – exame do cadáver para identificar a causa da morte – aponta que Silveira faleceu em decorrência de “traumatismo raquimedular decorrente da ação de instrumento corto-contundente”. Significa que, para os peritos do Instituto de Criminalística, ele foi atingido por algum objeto como foice, facão, machado e derivados, na altura do pescoço. Mas, segundo Henrique do Vale, um dos gestores da área, apenas a investigação policial poderá dizer de que forma e em que momento o militar foi atingido.
Ainda de acordo com o relatório da Polícia Científica, o sargento apresentava (palavras textuais) “uma lesão na face, causada por instrumento pérfuro-contundente, diferente dos ferimentos produzidos por projétil de arma de fogo. Esta lesão não representou fator relevante para o óbito”. O texto termina afirmando, categoricamente, que “nenhum dos ferimentos apresentava evidências de ter sido produzido por projétil de arma de fogo”.
O delegado João Paulo Andrade, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), confirmou conhecer o relatório da Polícia Científica, mas disse não poder fornecer outras informações. Ele assegurou estar empenhado em descobrir a autoria do ferimento que vitimou Carlos Silveira. A reportagem também tentou contato com a família do sargento, mas não teve retorno. O gestor interino do DHPP, Ricardo Silveira, afirmou, durante a conclusão do inquérito sobre a agressão do tenente da PM Joaci Justino da Silva (acusado de agredir o vigilante de um bar no Derby, área central do Recife), na manhã de ontem, que a Polícia Civil está perto de um desfecho para o caso do sargento.
Carlos Silveira do Carmo foi atingido quando se dirigia à guarita central que divide as três unidades do Complexo Prisional do Curado. Era manhã de segunda-feira, 19 de janeiro, e a rebelião que durou três dias, e se estendeu para a Penitenciária Barreto Campelo, em Itamaracá, tinha acabado de estourar. Silveira foi socorrido por policiais e agentes penitenciários, mas acabou falecendo no local. A rebelião ainda deixou outros dois mortos, os detentos Evaldo Barros da Silva Filho, 34, e Mário Antônio da Silva, 52, este último decapitado e esquartejado por outros presos.
O sargento Carlos Silveira tinha 22 anos de Polícia Militar, maior parte servindo no Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRV). No dia do enterro do militar, familiares afirmaram, em reserva, que ele estava insatisfeito por trabalhar nos presídios, pois não tinha o treinamento adequado para a função. Silveira estava há seis meses atuando na guarda do Complexo do Curado. O policial deixou esposa e duas filhas.