sábado, 28 de agosto de 2010

Dilma tem 51%, e Serra, 27%, aponta Ibope


A candidata Dilma Rousseff (PT) aparece na frente na corrida pela Presidência da República, segundo pesquisa Ibope de intenção de voto divulgada neste sábado (28). A petista tem 51% das intenções de voto contra 27% do adversário José Serra (PSDB).
De acordo com o Ibope, em terceiro lugar está Marina Silva (PV), com 7%. No  levantamento anterior do Ibope, realizado dos dias 12 a 15 de agosto, Dilma tinha 43%, Serra, 32%, e Marina, 8%.
A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos para mais ou menos. Isso indica que Dilma pode ter entre 49% e 53% e Serra, entre 25% e 29%. A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal "O Estado de S. Paulo".
Dos demais candidatos, Plínio de Arruda Sampaio (PSOL), Eymael (PSDC), Ivan Pinheiro (PCB), Levy Fidelix (PRTB), Plínio de Arruda Sampaio (PSOL), Rui Costa Pimenta (PCO) e Zé Maria (PSTU), nenhum alcançou 1% das intenções de voto.
Segundo turnoEm um eventual segundo turno entre Dilma e Serra, o Ibope apurou que a petista teria 55% e Serra, 32%. Na pesquisa anterior, as taxas de Dilma e Serra eram de 48% e 37%, respectivamente.
Avaliação do governoO levantamento também mostrou como os eleitores avaliam o governo Lula. Para 78%, o governo é ótimo ou bom; para 17%, regular; para 4%, ruim ou péssimo.

Presidente Lula inaugura campus Agreste da UFPE


Durante a cerimônia do campus da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em Caruaru, o presidente falou da importância de descentralizar a educação. “Embora (o Brasil) seja o maior (País) da América Latina, e o mais rico, nós fomos o último País a ter uma universidade. Quase que o único a acabar com a escravidão. Aqui as coisas sempre foram atrasadas. Nós entendíamos que as universidades federais não podiam ficar apenas nas capitais. Era uma coisa absurda”, opinou.



"Vamos ter mais doutores, mais cientistas. O nordestino, agora, só vai até São Paulo e Nova York para passear", falou. O prefeito da cidade, José Queiroz, e o reitor da universidade, Amaro Lins, acompanharam o governante. O presidente prometeu que, até o final do mandato, ele iria anunciar o curso de medicina no campus Agreste da UFPE.

“Uma coisa que eu noto, quando a gente chega às cidades, é que as pessoas não fazem criticas pequenas ao presidente. Hoje, tanto o povo quanto os prefeitos, as reivindicações são para construir universidades e escolas técnicas. Uma espécie de fundo garantidor para o futuro da sociedade brasileira”, contou Lula.

Ele voltou a falar do crescimento do Nordeste. “A Transnordestina corta o Nordeste todo, do Ceará até o porto de Suape. Passa pelo Piauí para pegar a soja. É uma ferrovia que levou cinco anos para construir a engenharia financeira e vencer os obstáculos, e vão ser dois anos para construir 1.700 quilômetros de ferrovia”, disse.

Também falou sobre o setor petrolífero. “O porto de Suape, antes, era um porto que se perguntava para que servia. A Petrobras não queria fazer refinaria. Agora faz a de Pernambuco, fez a do Rio Grande do Norte, e vai fazer uma no Ceará e outra no Maranhão, para desenvolver todo o Nordeste brasileiro”.

Também felicitou os nordestinos por ter ajudado o Brasil a passar pela crise econômica mundial. “Na crise americana e europeia, a crise do Brasil não foi forte porque o povo do Nordeste consumiu mais do que o povo do Sul e do Sudeste”, afirmou.

Em seguida, o presidente vai ao porto de Suape, onde visita as obras de terraplanagem da refinaria Abreu e Lima e participa da cerimônia de pré-operação da unidade de fios de poliéster da Petroquímica Suape e inaugura o gasoduto Pilar-Ipojuca.

No Recife, Lula deve ter ainda compromissos pessoais. O retorno para Brasília está marcado para as 23h.


mais ab

Profissional

Eduardo 75%

Dianteira de Eduardo surpreende os políticos


Se a eleição fosse hoje, o governador Eduardo Campos derrotaria o senador Jarbas Vasconcelos por cerca de 2 milhões de votos. É o que mostra a pesquisa do Datafolha divulgada ontem pela Folha de São Paulo e a Rede Globo de Televisão. O candidato da Frente Popular abriu 48 pontos percentuais de vantagem sobre o senador peemedebista (67% x 19%) e não enfrenta mais o menor risco de perder esta disputa. Considerando-se apenas os votos válidos, o placar seria de 75% x 25% em seu favor.

Ninguém de bom senso do meio político esperava uma vantagem tão folgada do candidato do PSB, nem um enfraquecimento tão repentino do senador Jarbas Vasconcelos, que se elegeu há quatro anos com 56% dos votos válidos. Eduardo tem em seu favor uma gestão que está aprovada por 80% dos pernambucanos e a imagem associada à do presidente Lula e de sua candidata, Dilma Rousseff, ao passo que Jarbas se vê obrigado a empunhar a bandeira de Serra, que tem 20% em Pernambuco.

É engano supor que o guia da TV provocará mudanças bruscas no cenário estadual. O quadro está definitivamente consolidado e redundará numa vitória acachapante do governador e de Dilma Rousseff. Até porque, de 1989 para cá, quando se realizou a primeira eleição presidencial direta após o término do regime militar, saiu vitorioso o candidato que já liderava as pesquisas antes do guia eleitoral. Eduardo e Dilma estavam em 1º no 1º dia do horário político e deverão permanecer assim até a eleição

Raquel Lira inaugura comitê em Petrolândia


Na manhã desta sexta-feira (26), Raquel inaugura comitê em Petrolândia, onde faz dobradinha com Fernando Coelho Filho. O evento começará às 9h e contará com a presença de diversas lideranças da região. A dobradinha política no sertão do Estado parte da identificação política entre os dois candidatos. Os dois são apresentados como herdeiros de famílias tradicionais na política do Estado.
Fonte: Diário da Sulanca.

domingo, 22 de agosto de 2010

Novo parceiro

mais uma parceria do Dalia Net, nosso novo parceiro é o blog Espaço Livre de Belo Jardim , um exelente blog comandado pelo jovem Mauro jorge , que cobre as noticias de Belo jardim e região >

Visite : http://espacolivrebj.blogspot.com/

BLOG DE MAURO JORGE COÊLHO - ESPAÇO LIVRE

Ataque ganha eleição????



A rebeldia de José Serra contra a mais nova regra eleitoral brasileira foi esmagada, depressa e com dor. Formulada pelo publicitário e marqueteiro Duda Mendonça, na primeira eleição presidencial de Lula, em 2002, é simples e convicta: 'Agressividade não ganha eleição'. Verdade apenas circunstancial, como atestam o passado mais distante e Fernando Collor no pós-ditadura contra Lula mesmo, consagrou-se com a derrota do próprio José Serra para o construído Lulinha Paz e Amor.
Apesar do resultado até agora, há um mérito na rebeldia de Serra. Parte da linha de ataque, que marca uma segunda fase, vem do seu temperamento sempre contundente e irritadiço, com o efeito positivo de mostrar o candidato mais tal qual é, de fato, do que fabricado por técnicas publicitárias. Mas o impulso de Serra para ceder à sua tendência não foi solitário. À sua volta no PSDB (o aliado DEM ele jamais ouviu nem olhou), muitos cobravam-lhe palavras e atitudes diretas e firmes de oposicionista. Fernando Henrique não deixou de fazê-lo até em público, várias vezes.
Em favor do marqueteiro de Serra, Luz Gonzalez, ficam indícios de que não compartilhou da elevação de tom e teor das manifestações do candidato. A Folha informou que no debate promovido pelo jornal e o UOL, por exemplo, Serra recebeu de Gonzalez o pedido para que atenuasse suas investidas contra Dilma Rousseff, àquela altura havendo já, também, algumas crispações voltadas para Marina Silva.
Curioso é que as cobranças da cúpula peessedebista evoluíram quando Serra estava na liderança, com Lula e Dilma batalhando por uma ascensão que não ganhava embalo ameaçador. Quando, portanto, Serrinha Paz e Amor, sorrisos e ares de simpatia jamais suspeitados nele, sobrepunha-se à inércia política e à falta de mensagem de Serra. Só coincidência ou não, entrou a fase incisiva e começaram a sua queda e a subida de Dilma.
Entre atento e distraído, como convém diante do programa eleitoral, o espectador vê surgir na tela o rosto de Serra debruçado sobre o de Lula, como em um comentário confidente, e a legenda 'Dois líderes experientes'. É propaganda de Serra ou do líder cuja experiência indica Dilma para manter a situação de tranquilidade, crescimento econômico e aumento do consumo de que o eleitorado desfruta em plena disputa eleitoral? Assim é a mistura de oposicionismo direto e firme, em relação a Dilma e ao governo, e de afagos nos 77% de eleitorado aprovador de Lula. Serrinha Amor e Ataque.
A Lula só falta ver Dilma vitoriosa no primeiro turno para a confirmação de suas antecipações e da tática audaciosa, e por certo tempo desrespeitosa, que adotou para uma sucessão bem ao seu gosto. Não seria justo deduzir daí que a situação de Dilma é obra exclusiva de Lula. Mais do que contrariar a expectativa da oposição de que suas aparições de campanha seriam desastrosas, Dilma tem se saído bem, sobretudo se considerado que sua estreia eleitoral ocorre já em disputa para a Presidência. Nos espantosos 17 pontos de vantagem que o Datafolha lhe confere, Dilma tem a sua quota de conquista.
E Serra, a de contribuição.   (Folha de S.Paulo)

Enquanto as antas julgam...


Aumenta expectativa de vitória de petista

Na medida em que Dilma Rousseff (PT) cresce nas pesquisas de intenção de voto, aumenta entre os eleitores a percepção de que ela vencerá a disputa presidencial.

Segundo pesquisa Datafolha realizada na sexta, 57% do eleitorado acha que Dilma será eleita, contra 22% que apostam em vitória de José Serra e 1% que crê na eleição de Marina Silva (PV). A margem de erro máxima é de dois pontos percentuais.

No levantamento anterior, realizado de 9 a 12/8, 49% apostavam na vitória de Dilma, e 25%, na de Serra.

Entre os eleitores de Serra, 56% afirmam que o tucano será eleito, e 23% acreditam em vitória de Dilma.

O Datafolha também mediu o grau de decisão dos eleitores em relação ao voto: 74% afirmam estar decididos, contra 23% que admitem mudar de candidato.

O eleitorado nordestino é o mais decidido: 80% dos eleitores da região afirmam que não vão mudar o voto. Os do Sul, por sua vez, são os menos convictos: 69% dizem estar totalmente decididos.

MAIS CONVICTOS

Dilma é a candidata cujos eleitores estão mais convictos: 78% dos apoiadores da petista dizem que estão totalmente decididos. Ainda assim, o percentual oscilou dois pontos para baixo em relação à pesquisa anterior.

Os eleitores de Serra que declaram estar totalmente decididos são hoje 74%, contra 70% na pesquisa anterior.

Marina foi a candidata que apresentou maior mudança em relação à decisão do voto dos eleitores. No levantamento passado, 59% diziam estar convictos da escolha. Agora, são 69%.

Serra é hoje o candidato mais citado como segunda opção entre os que admitem mudar o voto. O tucano é apontado por 29% desses eleitores, enquanto Dilma e Marina são mencionadas por 19% cada uma.

Nos levantamentos anteriores, Dilma sempre aparecia à frente de Serra como segunda opção.

Entre os eleitores de Marina que dizem poder trocar de candidato, 37% votariam em Serra, e 35%, em Dilma. Já 51% dos eleitores da petista que admitem mudar o voto escolheriam Serra, e 23% votariam em Marina.

Entre os eleitores do tucano que não estão totalmente decididos, 36% dizem que votariam em Dilma, e 21%, em Marina. Folha.Com

Ministro do TSE chancela estelionato de Serra

O cara tem jeito de tucano.Veja bem.

É o que eu digo:essa composição do TSE e merda é a mesma coisa.Na verdade, esse ministro negou o pedido do PT porque está mancomunado com os tucanos para prejudicar Dilma.Isso não é de hoje.Se fosse Lula quem tivesse entrado com a representação esse ministrozinho iria dizer que a legimitidade seria da coligação e não de Lula.Provavelmente esse ministro nunca leu um livro de Direito Eleitoral.


TSE diz que só Lula pode processar Serra por uso de sua imagem

O ministro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Henrique Neves arquivou duas representações da campanha de Dilma Rousseff (PT) contra José Serra (PSDB).

Nas ações, a petista reclamava do uso da imagem do presidente Lula no horário eleitoral do tucano na TV na quinta-feira e ontem.


Para o ministro, o direito de imagem é pessoal e só Lula poderia ajuizar a ação.

"Ainda que a utilização da imagem dos homens públicos seja tema que, geralmente, envolve uma necessária ponderação de valores constitucionais, a coligação requerente não possui legitimidade para requerer a proibição do uso da imagem", diz Neves.

Segundo a campanha de Dilma, o uso da imagem teve o objetivo de criar uma "armadilha propagandista" que liga Lula a Serra.

O PT queria impedir o uso da imagem novamente e a cassação de tempo de propaganda de Serra.

O partido argumentava que a legislação eleitoral proíbe a participação de filiado a outro partido no horário eleitoral.

Para o ministro, o uso da imagem não é a mesma coisa que pedir voto. Uol.

Desfile Cívico atrai grande público e encerra em grande estilo a Semana da Pátria em Taquaritinga do Norte

As atividades da Semana da Pátria em Taquaritinga do Norte foram encerradas em grande estilo neste domingo(15), com o Desfile Cívico em...