quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

ARTIGO: Retrospectiva das Eleições de 2004


*Por Marcos Pontes

Ao fim do primeiro mandato de Zeca Coelho à frente da Prefeitura de Taquaritinga, o grupo preparava-se para a reeleição da dupla ZECA-LULU. Depois da surpresa que proporcionaram em 2000, era chegada a hora de ratificar mais uma vitória e o grupo estava de novo unido para não permitir a volta de JÂNIO ao poder.
 Zeca, de forma a garantir a sua administração, aliou-se ao então governador de Pernambuco na época, JARBAS VASCONCELOS assim que tomou posse na prefeitura, embora não tenha votado nele em 98, mas que, com isso, neutralizou o governo do estado nestas eleições. A campanha, como de costume, seguia acirrada, chegando ao ápice com o episódio da “guerra das pedras”, em que os dois grupos se encontraram em um domingo a tarde, na rua José Rabelo de Castro, rua que fica por trás do Banco do Brasil, foi uma guerra literalmente, onde CALABAR e BOCA PRETA se agrediram atirando pedras uns nos outros, com muitos feridos e muito sangue, a partir desse fato a  justiça eleitoral decidiu  estabelecer a alternância de dias das campanhas dos partidos.
Em meados da campanha, mas precisamente no final de agosto, foi realizado pelo grupo da situação uma pesquisa que mostrou um resultado dando vantagem nas eleições ao candidato da oposição. A partir daí ouve um maior empenho do grupo CALABAR que permitiu uma reviravolta espetacular do prefeito. Mas o fato é que nem tudo são flores, houve um fato que como depois julgou a justiça: o uso indevido da máquina administrativa por parte do candidato à reeleição, a qual teve pedida depois de uma denúncia da oposição a cassação do seu registro de candidatura pelo Ministério Público, que foi confirmada, e no mês de agosto de seu 2º mandato, Zeca era cassado em primeira instância, após serem julgadas procedentes as acusações de uso da máquina no que ficou conhecido como o “CASO DA GAMBIARRA”, por ter sido feita a retirada desta após um comício na Rua Agamenon Magalhães pelos funcionários da prefeitura, o estopim para que a oposição fizesse a denúncia.
 Não vamos entrar no mérito da justiça. Muitos alegam que foi armação, não me cabe aqui contestar ou elogiar a decisão jurídica, apenas descrever o fato. Quanto à votação, Zeca foi reeleito por uma frente de 230 votos, 121 votos a menos do que na de 2000, com Pão de Açúcar mais uma vez garantindo essa vitória ao colocar uma frente de quase 850 votos só naquele distrito confirmando a fama de "Capital do Calabar", com o grupo fazendo ainda a maioria na câmara, elegendo cinco vereadores (Uau, Geovane, Luis do Sindicato que posteriormente viria a falecer e entraria o 1º suplente Gilson Carlos, Léo e Rogéria) enquanto a oposição elegeu quatro (Demir, Demar, Jarbas e Cacalo, que foi o último vereador eleito pelo distrito de gravatá do Ibiapina). E Zeca Coelho tornou-se o primeiro prefeito reeleito da história política de nossa cidade. Vale destacar a grande campanha dos oposicionistas que foi de fato uma campanha bem alinhada onde em determinado momento eles realizaram grandes passeatas e comícios que preocupou todo o grupo CALABAR que sentiu a iminência de uma derrota. Por fim vamos lembrar novamente da “casa de Béia”, que funcionou como comitê dos Calabar mais uma vez, e mais uma vez confirmou que seu dono não perde eleição. Um abraço e até a próxima terça feira com as eleições de 2008 e a luta do povo para restabelecer a democracia, um abraço.

*Marcos Pontes é Universitário e Funcionário Público.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Guarda Municipal de Taquararitinga do Norte prende dois Elementos

Dois irmãos foram detidos com um simulacro de arma de fogo na tarde deste sábado (30), na Avenida Jose Juventino da Silva, em frente a Paró...