quinta-feira, 1 de outubro de 2015

MAIS CRISE :Assembleia demite primeiros terceirizados. Corte total será anunciado nesta sexta-feira

Primeiro-secretário da Mesa, Diogo Moraes (PSB) revela que medida visa a ajustar a Alepe à queda da arrecadação estadual, que repercute no duodécimo da Casa / Foto: Roberto Soares /Alepe

Primeiro-secretário da Mesa, Diogo Moraes (PSB) revela que medida visa a ajustar a Alepe à queda da arrecadação estadual, que repercute no duodécimo da Casa

Foto: Roberto Soares /Alepe

Depois de cortar 98 comissionados, no final de agosto, reduzindo a 1.200 os cargos em comissão, e de estabelecer a meta de corte de despesas com a máquina de R$ 4 milhões/ano, a Assembleia Legislativa iniciou, nesta quarta-feira (30), o processo de demissão de funcionários terceirizados da Casa. O primeiro-secretário da Mesa Diretora, Diogo Moraes (PSB), não revelou o número dos primeiros cortes, mas adiantou que até esta sexta-feria (2), terá o total de demissões.
“Até sexta a gente divulga o número exato. Uma parte (das indicações) está sendo mandada (desligada). Diante do resultado da arrecadação (do Estado) do segundo quadrimestre, temos que analisar (o total). Não quero errar”, justificou-se.
O deputado pretendia revelar o levantamento na reunião da Mesa prevista para ontem, que foi desmarcada em razão de viagem do presidente Guilherme Uchoa (PDT). Diogo Moraes acabou ganhando mais tempo para definir a relação total do corte. 
“Realmente começou o processo de demissões. Já houve desligamentos”, informou uma fonte da Alepe. Nos bastidores, o número previsto chega a 150 terceirizados. Em 2013, houve cortes de mais de 500 terceirizados e 700 comissionados.
Pressionada pelo orçamento menor previsto para 2016 e hoje no limite prudencial de despesas com pessoal, imposto pela pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), a Mesa tinha determinado às superintendências de pessoal, de planejamento e de administração um levantamento dos terceirizados.
Precavido contra a repercussão do corte, por ser grande parte dos funcionários com salários reduzidos, a primeira-secretaria – que responde pelas finanças da Casa – está executando com cautela a segunda fase de medidas para a redução das despesas com pessoal no Legislativo. Há 20 dias, Moraes revelou que as medidas eram “um ajuste para se adequar à realidade”.
Segundo a Mesa, o corte de 98 comissionados (dois por cada um dos 49 gabinetes) vai gerar uma economia anual de R$ 1,7 milhão e a não renovação do contrato com a produtora que operava a TV Alepe evitará gasto de R$ 1,9 milhão, além da meta de redução do custeio em R$ 4 milhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário