segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Homem desfigurado ganha nova face após transplante de rosto que durou 26 horas

Timothy A. Clary/AFP Photo

Novo rosto foi apresentado durante conferência

Timothy A. Clary/AFP Photo

O centro médico de Langone, da Universidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, anunciou, nesta segunda-feira (16), a conclusão do transplante mais bem sucedido e extenso de rosto já feito até o momento. A cirurgia, que durou 26 horas, contou com o esforço e dedicação de mais de 100 profissionais, entre médicos, enfermeiros, equipe técnica e de apoio.

Patrick Hardison, 44 anos, do estado do Mississippi, nos Estados Unidos, teve a face desfigurada em setembro de 2001, após um acidente de trabalho. O jovem, que tinha 30 anos na época, era bombeiro voluntário e entrou em uma casa em chamas para salvar uma mulher. No momento do salvamento, o teto do imóvel desabou e atingiu em cheio o rosto de Patrick que sofreu queimaduras de 3° grau no rosto, orelha e cabelo, ficando irreconhecível. Para chegar ao "resultado final", o ex-bombeiro já havia enfrentado mais de 70 cirurgias.

O transplante, que foi realizado em agosto deste ano, teve como médico responsável o Dr. Eduardo Rodriguez, chefe do departamento de cirurgia plástica, que liderou a operação após um ano de preparativos, disse o centro médico.

A plástica se estendeu do topo da cabeça até o pescoço, incluindo também a reconstrução das orelhas. A nova pela de Patrick foi doada por um jovem de 26 anos.


OUTRO CASO - Em março, um hospital espanhol informou que havia realizado com sucesso o que chamou então de o transplante facial mais complexo até hoje: consistiu na reconstrução da parte baixa do rosto, queixo, boca, língua e garganta de um homem anônimo terrivelmente desfigurado por uma doença. 
O hospital universitário Vall d'Hebrón de Barcelona informou que a operação reconstruiu dois terços do rosto do homem de 45 anos. 
Em 2010, o mesmo hospital praticou o primeiro transplante facial toral em um homem que sofreu um acidente que o deixou sem nariz e deformou sua mandíbula e maçãs do rosto. 
O primeiro transplante facial parcial do mundo foi praticado por médicos franceses em 2005, numa mulher que foi atacada pelo cachorro. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário