quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Bancários e servidores do Detran aderem a movimento nacional e cruzam os braços nesta sexta-feira

Bancários decidiram aderir à mobilização após assembleia realizada nesta terça-feira / Foto: Sindicato dos Bancários/ Divulgação
Bancários decidiram aderir à mobilização após assembleia realizada nesta terça-feira
Foto: Sindicato dos Bancários/ Divulgação
JC Online
Atendendo à convocação de centrais sindicais e das Frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, os bancários pernambucanos e os servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-PE) decidiram, nesta terça-feira (8), paralisar as atividades na próxima sexta-feira (11), integrando o Dia Nacional de Greve. Segundo seus organizadores, o movimento pretende "demonstrar a indignação e a indisposição da classe trabalhadora e dos setores populares em aceitar a tentativa de retirada de direitos que vem sendo protagonizada pelo governo ilegítimo de Michel Temer com o apoio de uma maioria parlamentar de homens, brancos, ricos e conservadores".

Leia Também

Em sua página no Facebook, o Sindicato dos Bancários de Pernambuco informou que a decisão de participar da greve nacional foi decidida em assembleia e que agências e avenidas serão fechadas na ocasião. "A posição predominante é de que se os bancários não se organizarem, seus direitos serão retirados pelos projetos de privatização e terceirização em curso. A decisão foi consensuada em assembleia na noite desta terça-feira", diz o comunicado. A indicação do sindicato é que bancos públicos e privados paralisem.

Servidores do Detran-PE também paralisam as atividades

O Sindicato dos Servidores do Detran, por sua vez, informou que a categoria aderiu à mobilização "em protesto à tramitação da PEC 55/16 no senado federal, que prevê o congelamento dos investimentos públicos pelos próximos 20 anos".
A entidade informou também que os servidores irão aproveitar a greve para fazer uma assembleia e "deliberar pelo andamento da mobilização da categoria, que não descarta novas ações após esta paralisação".

Nenhum comentário:

Postar um comentário