sábado, 28 de novembro de 2015

Aécio Neves critica Dilma e evita falar sobre a sucessão municipal em sua visita ao Recife


















Senador mineiro preferiu falar sobre o âmbito nacional e desconversou quanto à posição do PSDB na sucessão municipal do Recife

Foto: Robert Fabisak/JC Imagem

Presidente nacional do PSDB e senador por Minas Gerais, Aécio Neves esteve nesta sexta (27), no Recife, onde participou do  seminário “Caminhos para o Nordeste – Mobilidade Urbana”, promovido por seu partido, e aproveitou para encontrar-se com o prefeito Geraldo Julio (PSB) e com o deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB).
Entre outras questões, o mineiro pronunciou-se sobre a crise do governo Dilma Rousseff (PT), sua adversária nas últimas eleições presidenciais. Ele afirmou que existe "um sentimento  de indignação crescente na sociedade brasileira e nós, homens públicos, temos que ser os intérpretes desse sentimento". Para Aécio, Dilma perdeu as condições de governar o Brasil, "mesmo tendo terceirizado o governo e distribuído ministérios como se distribui bananas vencidas numa feira livre". 
Aécio criticou o fato de que a petista não fez qualquer pronunciamento sobre os graves acontecimentos ocorridos recentemente, fazendo referência à prisão do líder do governo no Senado, Delcídio Amaral (PT-MS).  "Os próximos dias serão de intensas conversas, junto com o deputado Jarbas Vasconcelos e outras lideranças das oposições e partidos dispostos a conversar. Não sei qual será o caminho, mas ele precisa ser encontrado para que o Brasil volte a crescer e os brasileiros voltem a ter esperanças", destacou.
Sob o ponto de vista local, Aécio afirmou que  Pernambuco, pela sua importância no Nordeste, "talvez seja a nova porta de entrada para o PSDB na região", e que tem "a preocupação de falar sobre os problemas que essa região vem vivendo, e mostrar que esse modelo que aí está não se sustenta mais". Ele preferiu não se comprometer no que diz respeito ao Recife e às eleições municipais que se aproximam. "O prefeito Geraldo Julio e o governador Paulo Câmara são líderes do PSB, um partido com o qual nós temos uma extraordinária relação a nível nacional, e as definições em relação a candidaturas, sejam do Recife, sejam de outras cidades do Estado, serão tomadas no tempo certo pelo PSDB. Este assunto não está na pauta desta visita de cortesia", explicou. 
Durante o encontro com Aécio, o prefeito do Recife destacou a importância de se debater sobre os temas de grande relevância com lideranças nacionais. “Tivemos uma conversa sobre o futuro do país. O povo brasileiro está precisando que se abram perspectivas e oportunidades, que o Brasil volte a crescer, e que o povo não pague a conta sozinho. A gente sempre está discutindo as questões nacionais e o que o  Brasil precisa neste um momento é de muito diálogo", disse Geraldo.
Como bom mineiro, Aécio deixou claro à imprensa que tem "uma extraordinária admiração" pelo deputado federal Daniel Coelho, apontado como candidato do PSDB à sucessão municipal. "Daniel é um quadro  com capacidade de assumir esse e qualquer outro desafio. No momento certo, o partido vai chegar a uma decisão, que não será tomada pela direção nacional do PSDB.  Isso será amadurecido pelo próprio Daniel, junto aos companheiros de partido. As decisões em relação a candidaturas e alianças serão tomadas pelo PSDB, e não em conversas com outros partidos políticos", finalizou.

2 comentários:

  1. ESPERO QUE TENHA CONTRAIDO O DENGUE PARA SABER DAR VALOR AO VOTO DO POVO QUE SOFRE SEM ATENDIMENDO NOS HOSPITAIS PRECARIO NESSE BRASIL!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. ESPERO QUE TENHA CONTRAIDO O DENGUE PARA SABER DAR VALOR AO VOTO DO POVO QUE SOFRE SEM ATENDIMENDO NOS HOSPITAIS PRECARIO NESSE BRASIL!!!!!!!!

    ResponderExcluir