terça-feira, 22 de março de 2011

O GÊNIO NÃO É DO SUL POR ISSO NÃO VAI TER DESPEDIDA NA SELEÇÃO

Rivaldo treino São Paulo (Foto: Luiz Pires / VIPCOMM)


De volta ao grupo do São Paulo após ter ficado 20 dias em tratamento para recuperação de uma lesão muscular na coxa direita, o meia Rivaldo concedeu entrevista coletiva nesta terça-feira. E, entre os vários assuntos tratados, o camisa 10 falou sobre o fato de o Fenômeno Ronaldo, seu companheiro de Seleção Brasileira nas Copas do Mundo de 1998 e 2002, já ter uma despedida marcada, no dia 7 de junho, no estádio do Pacaembu, contra a Romênia. Questionado se um adeus com a camisa verde e amarela também seria importante para ele, o jogador surpreendeu.
- Ronaldo tem o privilégio de ser carioca. Se eu fosse carioca, talvez tivesse essa despedida. Estou tranquilo, não me preocupo com isso, outros jogadores que foram muito mais do que eu na Seleção não tiveram despedida. Se me chamarem para jogar no dia 7, estarei lá, senão nada muda. Fico na minha pensando apenas no São Paulo. Ronaldo é um grande amigo, um grande jogador, é o maior artilheiro do Brasil nas Copas. É que ele parou agora e já marcaram despedida. Cada um é cada um, eu particularmente não preciso e nem espero essa despedida – afirmou o jogador.
Na sequência, Rivaldo disse que não guarda rancor de qualquer pessoa.
- Meu coração é limpo. Eu só tenho que agradecer à CBF e aos treinadores que me chamaram para jogar duas Copas do Mundo. Mas o Ronaldo é carioca, a CBF fica no Rio. Volto a dizer, não tenho mágoa de ninguém. Tenho 38 anos, vou fazer 39 no mês que vem e estou no São Paulo. Todo dia, quando venho treinar, saio feliz de casa. Um jogo de despedida pela Seleção não significaria nada – finalizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Porteiro de Escola é assassinado em Santa Cruz do Capibaribe

 Mais um homicídio foi registrado em Santa Cruz do Capibaribe, Agreste Setentrional de Pernambuco, durante a tarde deste domingo (23), mais...