quinta-feira, 30 de março de 2017

Vigilantes fazem protesto e ameaçam não abastecer caixas eletrônicos em PE a partir desta sexta


Segundo o presidente do Sindfort, a greve é a única maneira de sensibilizar os donos das empresas / Foto: Reprodução Rádio Jornal
Segundo o presidente do Sindfort, a greve é a única maneira de sensibilizar os donos das empresas
Foto: Reprodução Rádio Jornal
JC Online

Um grupo de vigilantes de transporte de valores realiza um protesto na manhã desta quinta-feira (30), nas imediações da Universidade Católica de Pernambuco, no bairro da Boa Vista, área central do Recife. Caso a categoria paralise as atividades, os os caixas eletrônicos de todo o estado serão afetados pela falta de dinheiro para saques, bem como os bancos e terminais 24 horas.
O ato desta manhã convida os profissionais para uma assembleia da categoria que ocorre às 20h, na noite desta quinta, no auditório do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol-PE).

Reivindicações

A classe decide se decreta ou não uma greve por tempo indeterminado e vai avaliar a contraproposta do patronato. O Sindfort-PE classificou que os patrões agiram de forma intransigente com a pauta de reivindicações.


O grupo pede um aumento de 8%, plano de saúde integral, tíquete nas férias, cesta-alimentação e reajuste no tíquete.
Segundo o presidente do Sindfort, a greve é a única maneira de sensibilizar os donos das empresas. Caso a classe decrete greve, a partir desta sexta-feira (31) o abastecimento dos caixas eletrônicos estará suspenso.

Última greve durou dez dias

 No mês de abril de 2016, a última greve da categoria se estendeu por dez dias e deixou os caixas eletrônicos sem abastecimento. Após o fim da paralisação, o autoatendimento nos bancos demorou cerca de cinco dias para ser normalizado.
A reportagem da Rádio Jornal acompanhou o ato no Centro do Recife:

Nenhum comentário:

Postar um comentário