sábado, 10 de dezembro de 2016

Secretário diz que mais PMs podem ser presos por incitar greve

Secretário diz que mais PMs podem ser presos por incitar greve

O secretário (esquerda) participou na manhã deste sábado da entrevista coletiva no Comando Militar do Nordeste / Ricardo B. Labastier/JC Imagem
O secretário (esquerda) participou na manhã deste sábado da entrevista coletiva no Comando Militar do Nordeste
Ricardo B. Labastier/JC Imagem
JC Online

Na primeira entrevista após a Polícia Militar descartar a greve e manter a operação-padrão, o secretário de Defesa Social de Pernambuco disse que o governo está disposto a levar até as últimas consequências a obrigatoriedade de a categoria cumprir as jornadas de trabalho.


“Não iremos tergiversar no enfrentamento ao desrespeito à ordem, à lei e ao princípio de autoridade. A hierarquia e a disciplina militares devem ser respeitadas por policiais e bombeiros”, ressaltou o secretário Ângelo Gioia.
Gioia afirmou que novas prisões podem acontecer. Sexta, o presidente e o vice da Associação de Cabos e Soldados de Pernambuco (ACS-PE), Alberisson Carlos e Nadelson Leite, respectivamente, foram presos.
“Outras prisões podem acontecer. Inquéritos policiais militares estão em curso. Medidas da Polícia Judiciária Militar serão adotadas contra aqueles que insistirem em desrespeitar a Constituição e as leis vigentes em território nacional”, garantiu Gioia. “O Estado não pode se submeter a interesse de grupos que portam armas de fogo. Prevalecerá o império da lei”, assegurou.

REFORÇO CONTRA OPERAÇÃO-PADRÃO DA PM

O secretário participou na manhã deste sábado da entrevista coletiva no Comando Militar do Nordeste sobre a operação Leão do Norte, que consiste no reforço da segurança no Grande Recife com 3,5 mil homens das Forças Armadas enquanto a PM seguir fazendo a operação-padrão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário