terça-feira, 1 de novembro de 2016

Uma chapa que pode preocupar o Palácio em 2018


image

Edmar Lyra

Nem bem terminaram as eleições de 2016 e o meio político pernambucano já traça cenários para as próximas eleições daqui a dois anos onde estarão em jogo o governo de Pernambuco, a vice-governadoria e duas vagas de senador, e mesmo o PSB emplacando setenta prefeituras dentre elas Recife e Petrolina, há quem duvide da manutenção da hegemonia do partido caso haja a construção de uma coligação a fim de desbancar o PSB.

Na chapa que seria encabeçada pelo ministro das Cidades Bruno Araújo (PSDB) poderia ter como senadores o ministro da Educação Mendonça Filho (DEM) e o atual senador Armando Monteiro (PTB), já para o posto de vice-governador há quem aposte no ministro de Minas e Energia Fernando Filho, atualmente no PSB de Paulo Câmara, que seria obrigado a buscar uma outra legenda para se abrigar.

Essa coligação também receberia o PTdoB do deputado federal Silvio Costa, o PPS do ministro da Defesa Raul Jungmann, o Solidariedade do deputado federal Augusto Coutinho, o PTN de Ricardo Teobaldo e o PRB do deputado estadual Silvio Costa Filho, que hoje é líder da oposição na Alepe. Uma frente que teria oito partidos e provavelmente o partido do ministro Fernando Filho que neste caso sairia da sigla que está filiado, teria boas chances de aglutinar cerca de dez legendas e iniciar uma partida significativa para a guerra pelo Palácio do Campo das Princesas que seria travada contra o PSB.

Continua…


Além de contemplar os quatro ministros de Temer, integrariam essa coligação atores importantes como o prefeito de Petrolina Miguel Coelho, a prefeita de Caruaru Raquel Lyra, o prefeito de Olinda Professor Lupércio, os ex-governadores João Lyra Neto, Gustavo Krause e Joaquim Francisco, os deputados federais Ricardo Teobaldo, Daniel Coelho, Betinho Gomes, Zeca Cavalcanti, Jorge Côrte Real, Adalberto Cavalcanti, além de nomes como João Fernando Coutinho e Marinaldo Rosendo que hoje estariam insatisfeitos com os rumos do PSB no estado e estudam migrar para outra sigla.

Esta chapa teria dois políticos em ascensão no estado e no país e dois políticos que já disputaram o governo em ocasiões anteriores, mas que mantêm sua representatividade no estado e no país. Sem sombra de dúvidas tiraria o sono do governador Paulo Câmara e do PSB, que sem Eduardo Campos para chamar o feito a ordem, tem encontrado dificuldades de condução política no estado.

Funase – O governador Paulo Câmara escolheu o advogado Roberto Franca como o novo presidente da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase). A nomeação será publicada, nesta terça-feira, no Diário Oficial do Estado. “Franca tem uma larga experiência no serviço público, na área de Direitos Humanos e Justiça, e acredito que é a pessoa certa para realizar uma reformulação imprescindível na Funase”, afirmou o governador de Pernambuco.

Coletiva – Após ser derrotado pelo deputado estadual Professor Lupércio (SD) pela prefeitura de Olinda, o advogado Antônio Campos marcou para hoje uma coletiva a partir das 16 horas no Hotel Samburá em Olinda. Fica a expectativa do que será dito pelo irmão de Eduardo Campos, que se antes das eleições já se queixava do abandono do PSB na disputa pela prefeitura.

Mandato – Com a vitória do Professor Lupércio para prefeito de Olinda abrirá uma vaga na Alepe para o primeiro suplente da coligação SD/PTN/PV/PRTB que é o vereador reeleito do Recife Jadeval de Lima (PDT) que obteve 17.491 votos em 2014, caso ele aceite assumir por dois anos o suplente Eduardo Chera (PDT) herda seu mandato na Câmara do Recife, caso prefira continuar vereador, assume Anderson Aquino (PRTB), que é médico, tem 41 anos e foi candidato a prefeito de Ouricuri, ficando em quarto lugar.

Evangélicos – Apenas na Região Metropolitana do Recife nada menos que cinco dos quatorze prefeitos eleitos são declarados evangélicos. São eles: Demóstenes Meira (Camaragibe), Anderson Ferreira (Jaboatão dos Guararapes), Professor Lupércio (Olinda), Pastor Marcos (Abreu e Lima) e Zé de Irmã Teca (Itapissuma). A meta agora é ampliar a representatividade do segmento nas próximas eleições.

RÁPIDAS

Bombeiro – O vice-presidente do PSB Luciano Vásquez, que foi secretário da Casa Civil de João Lyra Neto, será desginado pelo Palácio do Campo das Princesas para restabelecer a relação entre o governador Paulo Câmara e a prefeita eleita de Caruaru Raquel Lyra após vários episódios hostis do Palácio a Raquel.

Vice – Caso se confirme a candidatura de Geraldo Alckmin para a presidência da República onde o PSB herdaria o governo de São Paulo com Márcio França, há quem aposte que o partido de Paulo Câmara ficaria com a vice de Alckmin, dentre os nomes cotados estariam Renata Campos, Ana Arraes, Fernando Bezerra Coelho e Geraldo Julio.

Inocente quer saber – A relação entre Paulo Câmara e os ministros pernambucanos voltará a ser como antes?

Nenhum comentário:

Postar um comentário