domingo, 15 de maio de 2016

Uma nova correlação de forças em Pernambuco


Fernando-Filho-PSB

CAROL BRITO Da FolhaPE

Após as turbulências do cenário político em Brasília e as mudanças na correlação de forças em Pernambuco, o governador Paulo Câmara (PSB) e o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), reduziram o tom de enfrentamento político dos últimos movimentos do PSB durante a inauguração do Hospital da Mulher do Recife. Com a saída do DEM e do PSDB do Governo do Estado e a nomeação do deputado Fernando Filho (PSB) para o Ministério de Minas e Energia, contrariando posição da Executiva Nacional, as lideranças garantiram a manutenção do diálogo com a Esplanada dos Ministérios, mesmo com as recentes turbulências com os aliados.

O governador Paulo Câmara pretende percorrer os ministérios para apresentar suas pautas de reivindicações para Pernambuco. As demandas permanecem as mesmas que foram apresentadas à equipe da presidente Dilma Rousseff (PT) e que encontram dificuldades, até hoje, para sair do papel. O destravamento de obras hídricas, concessão de rodoviárias e, principalmente, a liberação das operações de crédito para permitir o Estado a fazer novos investimentos.

Continua…


Após o impasse entre a Executiva Nacional do PSB e a bancada federal, Paulo Câmara conversou com o ministro Fernando Filho para demonstrar apoio ao correligionário. “A Executiva tomou uma posição e a bancada entendeu que devia indicar. Cabe uma reflexão, mas cabe, acima de tudo, apoiar Fernando Filho porque ele tem um desafio muito grande, em uma área estratégica para o partido. Já disse ao próprio Fernando Filho, que ele terá nosso apoio para fazer um grande trabalho”, defendeu.

Em relação à possibilidade de punição ao correligionário, o administrador despistou e disse que caberá ao presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, fazer a definição. O tom mais duro foi dado pelo secretário estadual de Turismo, Felipe Carreras (PSB), que classificou como “indisciplina partidária” a atitude do correligionário e que não é sadio “a bancada ter uma posição e a Executiva” uma outra.

Já o prefeito Geraldo Julio avaliou que o afastamento do DEM e PSDB da administração socialista não afetará a relação do seu governo com os novos ministros da Educação, Mendonça Filho (DEM), e Cidades, Bruno Araújo (PSDB). “De maneira nenhuma. O tratamento instituicional de prefeito, governador e ministro é visando o bem da cidade. Eu governei fazendo oposição à Dilma Rousseff até aqui. É uma relação institucional que não se mistura com a política”, avaliou.

Durante o ato, os gestos do PSB refletiram até mesmo como PT. O prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), agradeceu a participação do Governo Federal na construção do Hospital da Mulher e também ao senador Humberto Costa (PT) que, segundo ele, “esteve na obra do começo até o último tijolo”. Apesar do aceno, o petista afirmou que as siglas seguirão caminhos distintos nas eleições e que a agremiação lançará candidato contra o PSB na Capital.

Nenhum comentário:

Postar um comentário