segunda-feira, 16 de maio de 2016

Meirelles garante: o ônibus do desemprego vai frear e parar…


BRA53. SAO PAULO (BRASIL), 30/11/2009.- El presidente del Banco Central de Brasil, Henrique Meirelles, habla hoy, lunes 30 de noviembre de 2009, durante el Congreso Brasileño de la Construcción que se lleva a cabo en la sede de la Federación de las Industrias del Estado de Sao Paulo (FIESP), en Sao Paulo. EFE/Sebastião Moreira
 EFE/Sebastião Moreira

O novo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, ontem (15), no programa Fantástico, sobre a necessidade de reduzir o desemprego, que atinge cerca de 11 milhões de trabalhadores. Segundo ele, o primeiro passo é identificar o motivo. “As empresas estão vendendo menos, produzindo menos, demitindo funcionários, temos que fazer com que a economia volte a andar, fazer com que as produções aumentem”, disse.

Meirelles disse ser necessário reduzir despesas, mas frisou que não está falando em cortes de programas sociais e sim, por exemplo, em cortar salários de determinados categorias de funcionários públicos, sem especificar quais são. Ele usou metáforas para falar sobre como vai resolver a crise do desemprego. O ministro admitiu ainda haver expectativa de desemprego e falou em metáforas, mas numa linguagem popular. “Imagine um ônibus que vem numa certa velocidade e de repente resolve frear, mas o importante é as pessoas sentirem que o ônibus vai parar”.

Indagado sobre a conta de luz, que está muito alta, Meirelles afirmou não haver solução de curto prazo, como já aconteceu antes de Dilma se reeleger. Segundo ele, há formas de baixar a energia, investindo em represas hidrelétricas, mas nada que seja fácil começar agora e concluir, por exigirem investimento, tempo e planejamento. “Quando há uma solução fácil, as companhias elétricas passam a ter um tremendo prejuízo e a conta de luz pode aumentar. Soluções fáceis, como já tivemos, agradam no primeiro mês”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário