sábado, 26 de março de 2016

Na Via-crúcis, papa denuncia consciência anestesiada da Europa ante refugiados

1583

O papa Francisco criticou o que chamou de “consciência indiferente e anestesiada” da Europa sobre os refugiados e migrantes, durante as orações da Sexta-feira da Paixão, em Roma, durante a qual ele também criticou padres pedófilos, comerciantes de armas, fundamentalistas e perseguidores religiosos.

Dezenas de milhares de pessoas se reuniram para assistir à cerimônia, muitas com velas nas mãos, nos arredores do famoso Coliseu romano, onde se acredita que milhares de cristãos tenham sido mortos durante o império romano.

“Oh! Cruz de Cristo, hoje a vemos no Mediterrâneo e no Mar Egeu, que se tornaram cemitérios insaciáveis, reflexos de nossa consciência indiferente e anestesiada”, disse o pontífice de 79 anos, em alusão às milhares de pessoas que se aventuram em embarcações precárias para tentar chegar à Grécia e ao continente europeu.

Há algum tempo, Francisco vem pedindo à comunidade internacional para abrir as suas portas aos refugiados e combater a xenofobia – apelos que têm se intensificado desde um acordo polêmico firmado entre a Europa e a Turquia para expulsar os migrantes que chegam à Grécia.



Nenhum comentário:

Postar um comentário