quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Oposição vai pedir quebra de sigilo telefônico de Pedro Eurico

Líder da oposição, Silvio Costa Filho (PTB), tem reunião marcada com o o procurador-geral de Justiça, Carlos Guerra, nesta quinta-feira (4). / Foto: Giovanni Costa/Alepe

Líder da oposição, Silvio Costa Filho (PTB), tem reunião marcada com o o procurador-geral de Justiça, Carlos Guerra, nesta quinta-feira (4).

Foto: Giovanni Costa/Alepe

A bancada de oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) vai pedir ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE) a quebra do sigilo telefônico do secretário estadual de Justiça, Pedro Eurico (PSDB), para tentar determinar o teor da conversas que ele teria com detentos do sistema prisional. Pedro Eurico revelou ter passado o celular para os presos durante uma reunião na Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Alepe para que eles enviassem informações sobre casos de violação aos direitos humanos.

A oposição também planeja entrar com uma denúncia referente às declarações do secretário. Se ela for aceita pelo MPPE, a Alepe poderá porcessar o secretário por crime de responsabilidade. Para entregar os pedidos, o líder da oposição, Silvio Costa FIlho (PTB), tem uma reunião marcada com o procurador-Geral de Justiça, Carlos Guerra, na tarde desta quinta-feira (4).
No plenário, parlamentares da oposição criticaram a nota divulgada pelo Governo de Pernambuco defendendo o secretário. O texto afirma que o secretário foi mal interpretado e que teria dado seu contato a familiares de presos. "O governo resolveu nos tratar como um bando de idiotas", reagiu Edilson Silva (PSOL).
"Eu cometo hoje um ato irregular. Eu dei meu celular em todas as cadeias. Eu não queria dar meu celular. Por que? Porque eu estou admitindo que presos usem o celular. Mas eu vou ser cínico? Eu vou mentir? O celular existe e está lá. E eu dei o meu celular e disse: liguem a cobrar. Quem sofrer tortura, quem sofrer vilipêndio, quem tiver informação para dar. E eles ligam. Minha mulher não aguenta mais, coitada, porque eles ligam até de madrugada. Mas tem que aguentar, porque essa é a minha missão", afirmou Pedro Eurico na Assembleia.
"Nós estamos fazendo um amplo trabalho atuando muito para combater entrada de celular e de bebida. O secretário está fazendo o seu trabalho para evitar isso. Agora há, isso é um fato. E ele não vai esconder isso. Não vamos esconder, vamos combater. E vamos buscar incansavelmente que não haja mais esse tipo de falha", afirmou o governador Paulo Câmara nesta quarta-feira (3).
Nenhum deputado governista pediu a palavra para sair em defesa do governador ou do secretário. Presente à sessão, o vice-líder do governo, Tony Gel (PMDB), preferiu não comentar as críticas da oposição.
Em conversa com o JC por telefone, o líder do governo, Waldemar Borges (PSB), disse que a oposição está forçando a barra e quer superdimensionar a afirmação do secretário. Ele também defendeu a nota do Executivo, dizendo que ela coloca a fala de Pedro Eurico na dimensão e no contexto que ela realmente tem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário