quarta-feira, 23 de novembro de 2016

PE tem 42 agências bancárias fechadas por causa da violência


Diretor do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, Fabiano Moura, critica a reestruturação do Banco do Brasil que vai fechar 402 agências em todo o País / Fernando da Hora/JC Imagem
Diretor do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, Fabiano Moura, critica a reestruturação do Banco do Brasil que vai fechar 402 agências em todo o País
Fernando da Hora/JC Imagem
Da Editoria de Economia

Pernambuco já tem 42 agências bancárias fechadas por causa da violência e sem previsão de reabertura, de acordo com informações do Sindicato dos Bancários do Estado. “O banco público tem uma função social que ajuda no desenvolvimento local, principalmente nos municípios do interior, onde influencia a atuação dos agricultores, micro e pequeno empresários, entre outros setor. Estamos preocupados não só com os empregos, mas com o impacto que isso vai trazer nas cidades que ficarão sem serviço bancário”, critica o diretor do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, Fabiano Moura, referindo-se ao projeto de redução de custos do Banco do Brasil.

A instituição espera economizar R$ 750 milhões por ano somente com a reestruturação organizacional, que prevê o fechamento de 402 agências em todo o País, entre outras iniciativas.
A economia, na verdade, deve ser ainda maior, já que também ocorrerá a redução de postos de trabalho. Essa diminuição do quadro de pessoal deve acontecer com a adesão de até 18 mil funcionários ao Plano Extraordinário de Aposentadoria Incentivada lançado pela instituição. Em Pernambuco, o BB tem 3.140 funcionários, dos quais 533 estão dentro do perfil que podem aderir ao programa. “Por enquanto, aconselhamos os funcionários a esperarem porque estamos analisando essas medidas”, conta Fabiano. Ele acrescenta também que hoje serão realizadas duas reuniões, uma em Brasília e outra no Recife, entre a direção do BB e os representantes dos trabalhadores para conhecerem detalhes do plano de aposentadoria. E complementa: “O Banco do Brasil mudou o seu rumo entrando na lógica do setor privado. Grande parte da população das oito cidades que ficarão sem banco em Pernambuco não têm acesso ao serviço digital”, argumenta Fabiano.

OUTRO LADO

Depois do anúncio da reestruturação, as ações ordinárias do BB lideraram os ganhos na Bolsa de São Paulo ontem. Os papéis encerraram o dia com alta de 7,84% e o Ibovespa, principal índice da Bolsa, teve ganho de 1,85%. Entre os principais bancos, as ações preferenciais do Itaú Unibanco subiram 0,81%, as do Bradesco tiveram ganho de 0,58%, e as do Santander se valorizaram em 2,38%.
Não foi só a bolsa que reagiu bem ao processo de reestruturação do BB. O plano foi bem recebido por analistas. Para a equipe de análise da Guide Investimentos, as medidas são importantes para o banco estatal ganhar eficiência e conseguir se aproximar do patamar de rentabilidade dos grandes bancos privados. Segundo a consultoria Coinvalores, o banco deve obter ganhos importantes não só de economia, como de competitividade ao modernizar sua operação. A consultoria destaca o plano está em sintonia com a estratégia adotada pelos concorrentes privados que têm priorizado as plataformas digitais de atendimento.
Dentro das medidas anunciadas pelo BB, está a ampliação do atendimento por canais digitais que prevê a abertura, ainda em 2017, de mais 255 unidades de atendimento digital, entre escritórios e agências digitais, que irão se somar às 245 já existentes. Essas unidades digitais já atendem a 1,3 milhão de clientes, com expectativa de chegar a 4 milhões até o final de 2017. Ainda de acordo com informações do BB, as transações bancárias realizadas em canais de atendimento físicos estão em forte redução. O aplicativo do Banco para celular já conta com 9,4 milhões de clientes que realizam cerca de 1 bilhão de transações bancárias por mês, ou 40% do total. Outros 27% são realizadas pela internet.

Nenhum comentário:

Postar um comentário