quinta-feira, 7 de julho de 2016

“Investiguem homicídio”, diz Sanguinetti sobre morte de Morato



820sanguinetti

O médico legista George Sanguinetti utilizou as redes sociais para criticar os procedimentos periciais da morte de Paulo César Morato, foragido da Operação Turbulência, que foi encontrado morto em um hotel, em Olinda, no dia 22 de junho. Na postagem, o médico defende a tese de homicídio, enfatizando a ausência de secreções hemorrágicas na região facial, e critica o modo como foram removidos, para análises posteriores, os dois copos e a garrafa de água presentes no local onde o corpo foi localizado. O técnico ficou conhecido nacionalmente por contestar os laudos técnicos da morte do tesoureiro da campanha presidencial do senador Fernando Collor de Mello (PTC), Paulo César Farias, em meados da década de 1990. Sanguinetti, a exemplo do que já expôs anteriormente, disse acreditar que o corpo foi manuseado. “Vol­to a afirmar o manuseio do cadáver. A ausência de secreções hemorrágicas em redor da boca e nariz, de vômitos na fronha, roupa de cama, a posição, a limpeza cirúrgica indicam que o cadáver foi manuseado, preparado para ser encontrado. Investiguem o homicídio. A queima de arquivo”, registrou em sua página do Facebook.

Nenhum comentário:

Postar um comentário