domingo, 6 de março de 2016

CUIDADO COM SUAS ESCOLHAS EM 2016. CASO CONTRÁRIO: SEU MUNICÍPIO , O ESTADO E O BRASIL SOFRERÃO ÀS CONSEQUÊNCIAS.

POR : PAULO ROBERTO





PERFIL DO CANDIDATO ao EXECUTIVO (PREFEITO) - Todos os itens do perfil abaixo são objetos de análises, e a conclusão sobre qual será o melhor candidato, somente será obtida, ao final de todas as considerações. A intenção aqui é oferecer subsídios para uma definição final. Não existem regras ou um padrão para o perfil que nos garanta eleger a pessoa certa, correta, sem erros. Queremos evitar que os piores sejam eleitos. Queremos oferecer subsídios para que cada eleitor faça a melhor escolha. Um candidato é somente um candidato, o qual não será mais a mesma pessoa após ser eleita, sendo assim, a escolha fica muito mais complicada por este motivo. Temos centenas de exemplos de eleitos honestos que foram corrompidos pelo “sistema” e outros tantos que não conseguiram fazer nada daquilo de que prometeram ou se propuseram a fazer. Existem muitas coisas contrárias à vontade do Prefeito, desde problemas com seus Secretários até falta de apoio na Câmara de Vereadores.


COMO ESCOLHER UM CANDIDATO? A Democracia, com ela nós ganhamos o direito e também o dever, de escolher, através do voto, os nossos representantes nos vários níveis de administração do nosso País. Este direito, nos impõe muita responsabilidade. Temos que escolher e votar na pessoa correta para cada cargo. Os melhores, segundo a votação obtida, devem comandar “bem” o nossa cidade ou nosso país, caso contrário, teremos sérios problemas, nas mais diversas áreas do nosso dia-a-dia.


AS NECESSIDADES DA CIDADE: O perfil procurado num candidato tem a ver diretamente com as necessidades da sua cidade ou ao perfil da própria cidade. Cada cidade tem um potencial a ser explorado ou uma grande falha ou necessidade a ser corrigida e assim teremos que escolher o melhor dos candidatos para estes fins. Para cada grande problema a ser enfrentado e resolvido, existe um especialista ou uma pessoa mais qualificada.


ATRIBUIÇÕES DO PREFEITO: Para escolher seu candidato, você deve saber muito bem quais são as atribuições e responsabilidades de um Prefeito. Caso não saiba, então deve procurar mais informações e aprender sobre o assunto, ou do contrário, poderá escolher o candidato errado.
COMPARAR OS CANDIDATOS: Não adianta analisar apenas um candidato, vocês devem mesmo fazer uma comparação mais critica entre todos eles. Levantando os pontos fortes e fracos de cada um. Muitos irão dizer, não tenho tempo para comparar candidatos. Não tenho informações suficientes para fazer tais comparações. A dica é a seguinte, convide um grupo de amigos, colegas de trabalho, vizinhos ou parentes, não mais que 10 pessoas, e invistam alguns minutos, umas 2 ou 3 vezes antes do dia das eleições, para discutir e comentar sobre cada um dos candidatos, mas não permitam a presença de cabos-eleitorais nestas reuniões, pois senão elas serão transformadas em palcos eleitorais e não uma reunião para comparar os candidatos. Nestas reuniões vocês podem até debater sobre seus candidatos à vereança também. Cada pessoa tem uma visão diferente de um mesmo fato. Cada pessoa do grupo pode colaborar pesquisando assuntos diferentes e comentando. Nenhum dos participantes pode querer impor seu candidato aos demais. Trata-se de uma reunião amigável e criada principalmente para esclarecer dúvidas ou completar informações sobre os candidatos.


PREFEITO - SUAS ATRIBUIÇÕES: • Iniciar o processo legislativo na forma da lei; • Exercer a direção da Administração Municipal com as Secretarias Municipais e outros órgãos auxiliares; • Sancionar, promulgar e fazer publicar as leis; • Expedir decretos e regulamentos; • Vetar projetos de leis; • Nomear e exonerar Secretários; • Subscrever ou adquirir ações; • Encaminhar ao Tribunal de Contas, sua prestação de contas; • Apresentar relatório sobre o andamento das obras;


PERFIL DO CANDIDATO: A seguir é detalhado o que podemos definir como mais importante no perfil de um candidato a Prefeitura da cidade.


FICHA LIMPA: Com certeza absoluta ele deve ser considerado pela Justiça Eleitoral como um candidato “ficha limpa”, mas ocorre que alguns candidatos têm processos em andamento e até a data das eleições ele ainda é considerado “Ficha Limpa”, mas vale aqui uma análise sua quanto à moral deste candidato. Nossa sugestão é que para efeito de pontuação ou desempate, o candidato que responde processo na justiça deve ser evitado. Para ter mais garantias, primeiro veja a situação do seu candidato perante o TSE. Escolha um candidato que segundo o TSE tenha a “ficha limpa”, isto é, não esteja respondendo nenhum processo ou tenha sido processado.


PLANO DE GOVERNO: Propostas de Campanha ou Planos de Governo devem ser amplamente conhecidas e analisadas, pois muitas vezes essas propostas não são divulgadas, não chegam a serem conhecidas pelos eleitores e quando são, são demagógicas ou “Mandrake”. Muitos candidatos dizem que querem fazer tudo, mas não dizem como. Na maioria das vezes realmente nem sabem mesmo. As melhores propostas são aquelas em que o candidato diz como fará para cumpri-las. Muita atenção, pois para cumprirem com suas promessas pode ser necessária à criação ou aumento de impostos.


OS DEMAGOGOS: Queira ou não queira, poderemos afirmar com certa tranquilidade, que todos os candidatos são demagogos. Numa avaliação, o eleitor deve perceber quem é menos demagogo ou se sua demagogia tem a ver com seu desconhecimento e assim promete o que não terá condição de cumprir.


A IDADE: Trata-se de um parâmetro interessante, mas que não define o melhor. Não poderemos dizer que o mais velho e assim será considerado o mais experiente seja uma garantia de boa administração e da mesma maneira o mais novo seja melhor devido ao seu arrojo, sua coragem e ímpeto ou vontade de mostrar serviço. Outros pontos devem ser considerados para complementar este item. Teremos a juventude contra a experiência.


A APARÊNCIA: Tratado a aparência como o asseio, bom gosto no vestir, consideremos que a aparência conta ponto à favor de um ou outro candidato. Consideramos importante a boa aparência do eleito, nos seus contatos com demais políticos e grandes autoridades e até empresários, os quais podem definir investimentos em nossa cidade.


A FORMAÇÃO: Aqui vale ressaltar a formação em relação ao perfil da cidade. Depende das necessidades ou do potencial da cidade, teremos o melhor candidato em função da sua formação, mas de qualquer maneira, a formação é de grande importância.
TRABALHADOR: É a sua análise com relação ao candidato ser trabalhador, dedicado, perseverante, etc., em tudo que faz no seu dia a dia. Acho muito difícil um candidato sem ocupação nenhuma, a não ser que seja “filhinho de papai”.


OCUPAÇÃO – PROFISSÃO: A ocupação atual do candidato pode nos revelar muitas coisas a seu respeito. Se ele é um empresário, então como está a empresa que ele administra? Se for um Médico, como está sua clinica e pacientes? Se for Engenheiro, como está sua empresa e suas obras? Busque informações sobre a profissão do candidato para saber como ele é como Chefe, Patrão ou Empregado. Temos vários candidatos que são funcionários públicos, então deveremos saber como é o seu desempenho na prestação de serviços ao público, que somos nós. Para muitos, o funcionalismo é um “cabide de empregos”. Muitos ficam anos e anos até se aposentarem fazendo praticamente nada.


FILIAÇÃO PARTIDÁRIA: Você tem que saber a qual partido pertencem seus candidatos, há quanto tempo estão filiados a ele, onde estavam antes e quais são as linhas de defesa e atuação do partido. Porque ele mudou de partido?


AMIZADE E SIMPATIA: Como dizem, em época de eleições eles se tornam muito simpáticos. Adoram crianças e apertam a mão de todos que encontram pela frente e pelos lados também, mas fora desta época são outras pessoas. Fora do período eleitoral eles são arrogantes e antipáticos. Fuja dos políticos mascarados, das pessoas falsas e interesseiras. A amizade e simpatia têm de serem constantes, todos os dias e no ano inteiro, do mesmo jeito. Não é nenhuma garantia de que possa ser um ótimo Prefeito, mas ao menos permite uma abertura para receber e conversar com os munícipes e ouvir suas queixas.


O RICO OU O POBRE: Não pode ser um parâmetro confiável, votar no candidato rico achando que ele vai administrar a Prefeitura assim como administra sua riqueza. Que a riqueza seja sinal de ética, honestidade, de compromisso com a sociedade. Muitas pessoas são ricas devido a terem recebido herança de família. Nada foi conquistado por eles, mas simplesmente repassado. Eleger uma pessoa pobre só porque ela precisa, porque ela quer ganhar o salário de funcionário público. O eleitor achando que vai ajudar alguém e assim pode colocar a cidade em risco. Já aconteceram centenas de vezes, Brasil a fora, a eleição de candidatos a vereadores pertencentes à classe C e D, pessoas que catavam latinhas e papelão na rua, foram eleitos a cargo de vereança. Temos o exemplo “Tiririca”, que era ator, cantor, humorista, o qual veio do nordeste e ganhava a vida trabalhando com pequenos trabalhos e até shows em circos. Gente de vida dura, simples, e de grande pobreza, que foi eleito Deputado Federal com recorde de votação. Eleger um candidato pobre com o pensamento que ele vai lutar, batalhar e fazer tudo pelas pessoas da sua classe social também não pode ser considerado como certo. Do contrário, temos centenas de Prefeitos e Vereadores, considerados pessoas da classe C e D, que foram eleitos e fizeram a cidade crescer, se desenvolver, modificaram a estrutura da saúde e da educação, como nenhum outro Prefeito tinha conseguido. Vale dizer que este parâmetro poderá de ser levado em conta, junto com outros parâmetros mais interessantes para a cidade.


HONESTIDADE: Aqui voltamos ao candidato “Ficha Limpa” ou o candidato que responde por processos na justiça eleitoral. O candidato “Ficha Suja”, este está fora, mas o outro que ainda está respondendo em processos, poderemos, dizer então que não seja totalmente confiáveis e assim, na dúvida, este está fora. O político que já foi processado e que já cumpriu com a sua punição e agora é considerado um candidato “Ficha Limpa”, também é hoje um candidato “Ficha Manchada”, sendo assim, cuidado com ele, pode ter uma recaída.


ORATÓRIA: A boa fala, a voz aveludada, a boa lábia, as palavras bonitas e bem aplicadas. Muito cuidado com eles. São políticos que sabem muito bem deste seu potencial e os utiliza para conquistar seus leitores. É comum entre os candidatos vindos das rádios, os radialistas, os quais em posse de um microfone, com alcance municipal e às vezes até estadual, conseguem conquistar eleitores de longe, só no gogó. Logicamente que um candidato com boa oratória, boa fala, irá conquistar muitos e grandes benefícios para nossa cidade e população também. Na política, muitos municípios somente conseguem aprovar seus projetos porque vão atrás dos políticos mais influentes a nível Estadual ou Federal. Aqui vale dizer que “quem não pede não ganha”. Entre tantos “pedintes”, aquele com melhor poder de convencimento terá vantagem.
VOLUNTARIADO: É aquele que participa sempre de grupos de voluntários em festas, arrecadações de doações, auxiliam os mais necessitados, mas isto fora do período eleitoral. A partir do momento que projetam sua candidatura, eles mudam, viram “gente boa” pra todo mundo. Muito cuidado com eles.


A DEFESA DO MEIO AMBIENTE: A Prefeitura é o mais forte elemento na defesa do meio ambiente e em muitos casos pode ser o maior destruidor dele. Vários atos do Prefeito e suas Secretarias resultam em acidentes ambientais. Vistas grossas em atos de indústrias que se instalam no município também causam grandes danos à natureza. Fique atento e escolha Prefeito e equipe de Secretários comprometidos com a defesa do meio ambiente.


LIGAÇÕES POLÍTICAS: As ligações políticas podem auxiliar muito a cidade, mas certas ligações podem até permitir a cassação de políticos. Você deve saber quais são as relações políticas dos seus candidatos. Não é fácil ter tais informações, mas você deve ao menos se preocupar e pesquisar ou perceber os candidatos e os seus arredores.


O VICE-PREFEITO: Tão importante quanto o Prefeito, seu vice deve ser conhecido e analisado da mesma forma que o candidato a Prefeito. É o Vice-Prefeito que assume o comando da Prefeitura quando da ausência temporária ou definitiva do Prefeito. Ele poderá ser melhor que o próprio Prefeito ou poderá ser um grande desastre para a cidade. Um candidato a Prefeitura bom, mas com um candidato a vice-prefeito ruim, pode acabar com a candidatura. Deveremos prestar muita atenção neste item.


O SECRETARIADO: Se o seu candidato for eleito, quem serão os seus Secretários. O eleito pode ser perfeito, mas seus secretários são uma enganação, são corruptos, são incapazes, fazer o que? No momento da escolha do seu candidato ou numa dessas reuniões de apresentação de candidatos, os antigos comícios, pergunte quem seriam os secretários. Ele deverá citar alguns nomes. Caso não cite é porque não tem nem um plano de governo, sendo assim, um voto a menos para ele.


O NEPOTISMO: Não é raro vermos ou ouvirmos que o Político nomeou seus familiares em cargos de confiança ou fez armações com Prefeitos de cidades vizinhas na troca de cargos para seus familiares. Muitos dizem que cargo de confiança deve ser para pessoas de extrema confiança e que ninguém melhor que um filho, marido ou esposa, sobrinho, etc., para ocupar este cargo, mas segundo Lei Federal, isto não é permitido.


A REELEIÇÃO: O candidato a uma reeleição nunca será o mesmo do primeiro mandato. Nossa ideia é que ele seja melhor, mas na maioria dos casos, em segundo mandato, o eleito relaxou, mudou a equipe e as coisas não funcionaram como antes. Tivemos vários casos onde o reeleito conseguiu dar andamento dos projetos iniciados e ainda criou novos de grande importância e interesse da cidade.


A COLIGAÇÃO: As coligações partidárias existem quando dois ou mais partidos tem interesses comuns da administração pública, quando os projetos políticos coincidem. As coligações também permitem que partidos pequenos ou de pouca representatividade numa cidade possam apoiar candidato de outro partido, obtendo como retribuição, o direito a pastas de secretarias, previamente acertadas. A Administração eleita, resultando de coligações, da mais força ao eleito, principalmente no momento de indicações de Leis para votação nas câmaras.


APOIO DO GOVERNADOR: Todos os governadores estaduais sempre dizem que governam para e pelo povo e não existe afeto ou desafeto com nenhum Prefeito, mas na realidade existem sim afinidades partidárias e interesses maiores, os quais fazem com que alguns sejam beneficiados em detrimento de outros. Se o seu candidato tem bom relacionamento com o Governador, então as chances da cidade ter seus projetos aprovados e avaliados serão grandes.


APOIO DE DEPUTADOS E SENADORES: Assim como ocorre com a relação entre Prefeitos e Governador, ocorre também entre Prefeito, Deputados e Senadores. Um Prefeito com forte apoio Estadual ou Federal pode resultar em projetos e verbas vindas aprovadas e direcionadas à cidade. Atualmente, o apoio político de escalas superiores tem feito a grande diferença entre as cidades maiores e menores ou entre cidades do interior e capital.


LIDERAÇA REGIONAL: Alguns candidatos podem demonstrar ou apresentar, no período de campanha, os apoios que tem de outros candidatos de cidades vizinhas e em alguns casos fica clara a possibilidade de liderança regional. Candidatos de cidades maiores apoiam e são apoiados por outros candidatos de cidades menores e assim já poderemos perceber sinais de liderança e forte interesse de união a favor de cada cidade, compondo um jogo de interesses e benefícios para a região toda. A liderança regional pode ser garantia de bons frutos do apoio de Deputados Estaduais.


IDEAIS DOS PARTIDOS: Apesar de muitos acreditarem que atualmente os partidos são todos iguais e que não existe mais ideologia, muitos cientistas políticos contestam este pensamento. "Os partidos têm, sim, diferenças, nuances, principalmente na maneira de se comportar no Legislativo".
Os ideais de cada partido são diferentes entre eles. Abaixo listamos de alguns ideais da maioria. 1. Reforma política. 2. Reforma tributária. 3. Defesa da Educação. 4. Defesa da Saúde. 5. Melhoria da Segurança. 6. Proteção do Meio Ambiente. 7. Sistema Político - Socialismo, Comunismo, Democracia, República, etc.. 8. Combate à fome e pobreza. 9. Defesa das fronteiras e nossas riquezas. 10. Entre outras...


CONCLUSÃO:


O MELHOR CANDIDATO É... Conforme acima expressamente listado, os aspectos que mais se destacam são: atributo moral a toda prova, com espírito de servir, respeito pela coisa pública, capacidade administrativa, honestidade, ética, etc. Algumas reflexões sobre a escolha – o melhor candidato é... * É aquele que conquistou algo importante para a nossa cidade ou região. * É aquele que está sempre presente, principalmente fora dos períodos de eleições. * É aquele que promete algo de nosso interesse. Devemos cobrar depois. * É aquele que promete algo que pode ser alcançado mesmo, sem demagogia. * É aquele que já comprovou ter competência no trabalho e na administração. * É aquele que pertence ao partido que melhor se enquadra na minha linha de pensamento. * É aquele que se propõe a defender o nosso interesse, seja na educação, saúde, segurança, ecologia e meio ambiente, economia, etc. * É o candidato da “ficha limpa”, aquele que não está envolvido em nenhum processo político. * É aquele que conhece e os problemas da cidade e até da região. * É aquele compromissado com a Saúde, Educação, Segurança Pública, Emprego, Moradia, Lazer e tudo aquilo que o Cidadão tem direito, está na Constituição, mas, que infelizmente nossos governantes ainda insistem em não cumprir. * É aquele que tem influência e respeito para com todos os munícipes. * É aquele que cumpri com suas promessas. Espero que com as dicas acima, você cidadão de quaisquer municípios desse nosso Brasil consiga escolher e eleger o melhor candidato para a sua cidade.




Quero aqui, agradecer a todos os amigos que me cumprimentaram pelo artigo anteriormente subscrito e colaborar para que qualquer cidadão, dos locais mais longínquos desse nosso maravilhoso Brasil, possa verificar em seu Município o perfil dos Candidatos ao pleito eleitoral 2016. Deixo aqui um forte abraço para os amigos que sempre me motivam na elaboração desses simples artigos, onde tento contribuir para o fomento do conhecimento” (MARINHO, s.r. PAULO-2016)



POR: PAULO R. S. MARINHO - GRADUADO EM CONTABILIDADE – COM PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO TRIBUTÁRIO – ATUALMENTE DIRETOR DE TRIBUTOS.







Nenhum comentário:

Postar um comentário