sábado, 10 de outubro de 2015

Sargento da PM morre ao reagir a assalto no Sertão do Estado

Jorge Luiz Alves Cordeiro levou um tiro ao reagir a um assalto próximo à transposição do Rio São Francisco / Arte: Vladimir Barros/JC

Jorge Luiz Alves Cordeiro levou um tiro ao reagir a um assalto próximo à transposição do Rio São Francisco

Arte: Vladimir Barros/JC

Um sargento da Polícia Militar de Pernambuco foi assassinado, na madrugada deste sábado, na zona rural de Cabrobó, no Sertão do Estado. Jorge Luiz Alves Cordeiro, 49 anos, levou um tiro ao reagir a um assalto numa estrada vicinal, próxima à transposição do Rio São Francisco. Ele morreu no local. Um amigo dele que estava no carro conseguiu fugir e se esconder na caatinga.

Jorge era vinculado ao 14º Batalhão da PM de Serra Talhada e não estava de serviço na hora da ocorrência. Segundo o tenente-coronel Tibério César, comandante do batalhão, o oficial partiu de Salgueiro em direção à Cabrobó. Pouco depois da meia-noite decidiu sair da BR-116 devido aos constantes assaltos que ocorrem na região.

“Ele preferiu ir pela estrada vicinal justamente para fugir de assaltos. A pista que pegou margeia a transposição. Cerca de 30 quilômetros antes de chegar em Cabrobó deparou-se com um caminhão atravessado no meio da estrada. É uma estratégia comum dos ladrões, colocar um veículo no meio da via para impedir a passagem dos carros”, relata o tenente-coronel. O caminhão era de gás e havia sido roubado em Cabrobó na noite de sexta-feira.

O sargento levou um tiro no ombro. “Não sabemos quantos homens armaram a emboscada. O sargento deve ter reagido e por isso foi baleado. O amigo dele contou que ao perceber que Jorge estava ferido, abriu a porta e correu para dentro do mato. Como estava escuro, conseguiu se esconder. Foi atrás de ajuda. Mas ao voltar Jorge estava morto”, afirma o comandante do 14º Batalhão. Os assaltantes fugiram levando a arma do sargento (uma pistola), carteira e celular dele.

De acordo com Tibério, Jorge era PM há 29 anos e meio. Estava de licença especial, esperando apenas completar o tempo de serviço para se aposentar. “Não o conhecia, mas os relatos de colegas é de que era um policial tranquilo, pacato e benquisto. Ele foi motorista do comandante que me antecedeu”, diz o tenente-coronel, na função há quatro meses.

O corpo de Jorge foi levado para o Instituto de Medicina Legal (IML) de Caruaru, no Agreste do Estado. Ele residia em Bom Conselho, na mesma região. O velório e o enterro devem acontecer neste domingo. Mas até o início da noite deste sábado não havia informações de onde seria o sepultamento nem o horário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário