terça-feira, 6 de outubro de 2015

Fim das eleições para Conselheiros Tutelares e cabos eleitorais.

Por : Roberto Celestino


No último domingo (04/10) ocorreram em todo o país as Eleições para eleger os Conselheiros Tutelares que, deverão defender os direitos das crianças e adolescentes.
No entanto, o que preocupa e preocupa muito, é um problema que vem se repetindo a cada eleição para membros do Conselho Tutelar (CT) e que não só acontece em Taquaritinga do Norte, Santa Cruz do Capibaribe e adjacências, mas, em todo o território brasileiro.
Vertentes 

Um percentual muito pequeno daqueles que são eleitos para o cargo de Conselheiro Tutelar estão de fato preocupados em zelar pelos direitos de crianças que sofrem abuso, de pleitearem vagas em escolas e creches para crianças que estão fora desta, de brigar em hospitais pelo atendimento prioritário para os mesmos, enfim, tudo isso pouco importa para a maioria deles. Alguns não sabem nem o que significa ECA, (Estatuto da Criança e do Adolescente- Lei 8.069/90).
O despreparo é tão grande que, na campanha, alguns deles incorporam os políticos e prometem projetos mirabolantes, criação de espaços de lazer para crianças e adolescentes, quando no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), Lei que institui a criação do CT, não vemos nenhuma atribuição desse tipo ao Conselheiro Tutelar.
6
Santa Cruz
Então, se a afirmação que faço ao dizer que poucos deles estão interessados em zelar por esses direitos, o que os fazem concorrer ao pleito?
Poderia citar três ou quatro motivos, mas, vou ater-me a um apenas.
Os políticos perceberam no Conselho Tutelar uma ótima oportunidade para usarem seus cabos eleitorais. Pessoas que são ligadas a vereadores, prefeitos, ex-prefeitos e aspirantes a tal, são apoiadas por estes para em primeiro plano, servirem como termômetro para as próximas eleições e em segundo plano, para que esses retribuam o apoio quando as eleições chegarem.
É lamentável como uma instituição que deve ser imparcial em busca dos direitos de crianças e adolescentes, em sua maioria negados pelo poder público tornou-se uma instituição político-partidária.
O resultado: conselheiros despreparados, sem compromisso com a causa, no entanto, com muito compromisso com os políticos que os apoiaram, significando que, estes, ao violarem os direitos das crianças e adolescentes, jamais serão cobrados por um conselheiro que tem “rabo preso”, com o mesmo.


Os blogs da região não tiveram nenhum pudor em dizer que as eleições do CT serviam de termômetro para as eleições do ano que vem. Prefeitos e vereadores desfilaram com conselheiros vencedores, e um deles (prefeito) ainda afirmou: “Nós temos um bom time”, referindo-se ao seu partido que apoio os seus (que não deveriam ser de ninguém) conselheiros.
Mas, parabéns a todos que ganharam, em nome de todas as crianças e adolescentes de Taquaritinga do Norte, parabenizo a todos, não apenas aos vencedores, mas, a todos, pois sei que suaram muito. Confesso, porém, que parabenizo de forma distinta, aqueles que não obtiveram a quantidade desejada e/ou necessária de votos, mas, os poucos que tiveram, foram na “tora”, com a cara e a coragem, contando apenas com a família e amigos, sem influência político- partidária.
Abraço a todos.




Nenhum comentário:

Postar um comentário