segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Saiba como driblar a greve dos bancários que começa nesta terça-feira (6)


Categoria cruza os braços a partir de terça. Consumidor e empresas precisam encontrar alternativas para honrar as contas (foto: Guga Matos/JC Imagem)
Categoria cruza os braços a partir de terça. Consumidor e empresas precisam encontrar alternativas para honrar as contas (foto: Guga Matos/JC Imagem)
A greve dos bancários, por tempo indeterminado, começa na terça-feira (6). A responsabilidade financeira dos brasileiros, no entanto, continua. A paralisação, que acontece há 12 anos consecutivos e atinge bancos públicos e privados, não é motivo para atrasar as contas. O consumidor precisa encontrar uma alternativa. As empresas, por sua vez, têm obrigação de orientar os clientes.
De modo geral, o consumidor dispõe de internet, telefone e aplicativo no celular. Há também os caixas eletrônicos e a rede 24 horas, que ficam disponíveis em supermercados, aeroportos, shoppings, lojas comerciais, conveniências e centros comerciais, além dos correspondentes bancários espalhados por todo o País.
A Fundação Procon-SP lembra que as empresa credoras devem oferecer outras formas e locais para que os pagamentos sejam efetuados. Em caso de dúvida, a saída mais sensata é entrar em contato com a empresa, solicitar a informação e documentar esse pedido, solicitando, por exemplo, o envio de um e-mail ou anotando o número de protocolo de atendimento. Isso para que, caso o fornecedor não cumpra com a obrigação, haja provas na hora de reclamar.
A Fundação Procon-SP também orienta que o consumidor não adquira, sem conhecer em detalhes, pacote de serviços oferecidos pelos bancos voltados a facilitar a quitação dos débitos durante a greve.
Para quem precisa sacar valores acima do permitido nos caixas eletrônicos, a dica da Proteste é que entre em contato com o banco para buscar uma alternativa. Aposentados e pensionistas do INSS poderão retirar, como de costume, o dinheiro nos caixas eletrônicos. Entretanto, aqueles que recebem pela Caixa Econômica só poderão retirar o benefício nas casas lotéricas.
Se algum dano for causado ao consumidor (por exemplo, cobrança de multa e juros em casos em que não teve, de forma alguma, como realizar o pagamento em consequência da greve), o banco deverá ser responsabilizado, nos termos estabelecidos pelo Código de Defesa do Consumidor.
Proteste orienta, nessa situação, que seja formalizada a reclamação, por meio de uma carta para o banco, aos cuidados do gerente e enviada com aviso de recebimento dos Correios, relatando os fatos e requerendo as providências cabíveis. Além disso, o consumidor poderá registrar uma queixa junto ao Banco Central e procurar os órgãos de defesa.
MAIS ORIENTAÇÕES
Como pagar contas a vencer?
Contas de água, luz, telefone, gás, internet, financiamentos, impostos e títulos de cobrança em geral que estão dentro do prazo podem ser pagas pela internet, caixa eletrônico, rede 24h, aplicativo do banco no celular, correspondente e telefone do banco (confira o número no site do banco, no cartão da sua conta, ou pesquise no www.febraban.org.br/atendimento_bco.asp).

Como pagar contas vencidas?
Conta de concessionária (luz, água, telefone, gás, etc.)
Faça o pagamento normalmente pelos canais alternativos listados acima. As próprias concessionárias de serviço público costumam inserir os juros e as multas na conta do mês seguinte.
Títulos de cobrança (condomínio, escola, plano de saúde, assinatura de publicações, academia, financiamento, etc.)
Peça um novo boleto já com os valores atualizados ou faça o pagamento pelo Débito Direto Autorizado (DDA).

O que é o DDA?
É um serviço de apresentação eletrônica de boletos bancários que permite o pagamento eletronicamente. Para usá-lo, o cliente precisa se cadastrar como sacado eletrônico na(s) instituição(ões) financeira(s) na qual tem conta. O DDA também permite o pagamento de boletos vencidos. A própria ferramenta já contabiliza as multas e juros.
Meu boleto é do banco e a agência está fechada, o que fazer?
No próprio site dos bancos, é possível solicitar nova via de boleto em atraso, mesmo para pessoas que não são correntistas.

PAUTA
Os bancários são contra a proposta de reajuste de 5,5% apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Os trabalhadores queriam uma correção de 16%, dos quais 5,7% de aumento real (inflação acumulou alta de quase 10% até agosto). A paralisação foi aprovada por funcionários de bancos públicos e privados. “
Justamente o setor que mais tem lucro no Brasil apresentou a pior proposta que os trabalhadores poderiam receber. A resposta dos bancários não poderia ser outra senão greve”, afirmou Roberto von der Osten, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) e um dos coordenadores do Comando Nacional. Na segunda, devem ser realizadas novas assembleias para organizar o movimento grevista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário