terça-feira, 29 de novembro de 2016

Polícia Civil estima valor milionário desviado por vereador de Carpina


Foto: JC Imagem

A Polícia Civil estima que R$1milhão foi desviado por uma quadrilha que praticava crimes de estelionato, peculato, falsificação ideológica e de documentos públicos liderado pelo ex-presidente da câmara de vereadores da cidade de Carpina, na Zona da Mata Norte do Estado.

De acordo com a polícia, o vereador reeleito pelo PSB, Tota Barreto, seria o líder do grupo que contratava funcionários fantasmas e fazia empréstimos consignados sem autorização no nome dos falsos servidores.

Todo o salário ou dinheiro retirado nos empréstimos ficavam com o vereador. Pelo menos seis pessoas contratadas de maneira fraudulenta no esquema já foram identificadas, ouvidas ou detidas durante a Operação Caça Fantasma, deflagrada na última quarta-feira (23).
O vereador Tota Barreto está preso preventivamente.

O delegado titular de Carpina, Diego Pinheiro, detalha como começou a investigação. “Uma vítima nos procurou para dizer que estava sendo cobrada indevidamente por um contrato consignado que ela não fez. Verificamos o documento e analisamos que havia uma portaria nomeando a mesma para ser chefe de gabinete da câmara dos vereadores de Carpina, nos anos de 2013 e 2014, gestão essa do presidente Tota Barreto quando era vereador”, afirma.

As investigações continuam para avaliar exatamente quanto foi roubado. A polícia não descarta a possibilidade de outros vereadores de carpina estarem envolvidos no esquema já que até parentes de Tota Barreto, como o namorado da filha dele e o cunhado, participaram.

Durante a operação Caça Fantasma, nove pessoas foram presas e três conduzidas coercitivamente para prestarem depoimento. Mais de 100 policiais participaram na iniciativa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário