domingo, 27 de novembro de 2016

Economista: foi erro congelar o bolsa família


BAGÉ, RS, BRASIL, 11.05.13: Caravana do RS Mais Igual em Bagé. Foto: Alina Souza/Especial Palácio Piratini
Foto: Alina Souza/Especial Palácio Piratini

Folha de S. Paulo – Mariana Carneiro

A queda da renda entre os 10% mais pobres, verificada na Pnad, aumentou a pobreza no país em quase 20%, segundo o economista Marcelo Neri, 53, pesquisador e diretor do FGV Social.

Nos anos dourados do crescimento, Neri criou a expressão “nova classe média”, para ilustrar a ascensão da renda dos mais pobres. Agora, lamenta “erros”, que segundo ele foram cometidos no último ano da gestão de Dilma Rousseff, que afetaram justamente a base da pirâmide.

Folha – Como avalia os dados da Pnad?

Marcelo Neri – Revelam que 2015 foi um ano duplamente ruim. A renda familiar per capita caiu 7,04%. De 2004 a 2014, ela crescia em média 4,5%. A pobreza também aumentou muito: 19,33%. De 2004 a 2014, ela havia caído em média 10,44% ao ano.

Folha – Por que a pobreza aumentou?

Uma parte importante é explicada pelo congelamento do Bolsa Família com a inflação em dois dígitos. Nenhum outro benefício foi congelado assim. E ele vai de fato para os 10% mais pobres. E aí há uma quebra da série da história: é a primeira alta da pobreza desde a recessão de 2003.

Nenhum comentário:

Postar um comentário