quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Cabral praticou crimes de forma 'profissional e reiterada', diz Moro


Ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, foi preso nesta quinta-feira.
Investigação contra ele é derivada da Operação Lava Jato.

Samuel Nunes
O ex-governador do RJ Sérgio Cabral (Foto: Fábio Motta/Estadão Conteúdo/Arquivo) 
O ex-governador do RJ Sérgio Cabral (Foto: Fábio Motta/Estadão Conteúdo/Arquivo)
O juiz Sérgio Moro afirmou no despacho que determinou a prisão do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, que as provas apresentadas pela investigação apontam indícios de que foram cometidos crimes de forma "profissional e reiterada" pelo político. Cabral foi detido na manhã desta quinta-feira (17), na Operação Calicute, derivada da Lava Jato.
"As provas são, em cognição sumária, da prática reiterada, profissional e sofisticada de crimes contra a administração pública e de lavagem de dinheiro por parte de Sérgio Cabral e de seu operador financeiro Carlos Miranda", afirmou Moro.
A operação investiga supostas propinas pagas por construtoras ao ex-governador fluminense. Segundo o MPF, Cabral recebia propinas mensais que variavam entre R$ 200 e R$ 300 mil. A investigação aponta que a fraude pode ter gerado prejuízo de mais de R$ 200 milhões aos cofres públicos.
Para Moro, o tamanho dos supostos crimes cometidos justifica a prisão preventiva de Cabral e das outras pessoas envolvidas no caso. "A magnitude e a reiteração delitiva caracterizam risco à ordem pública", afirma o magistrado.
Moro também determinou o bloqueio de R$ 10 milhões das contas de Cabral e das demais pessoas e empresas investigadas na Operação Calicute.

Nenhum comentário:

Postar um comentário