quarta-feira, 1 de março de 2017

Após Carnaval, é hora de juntar papelada para o Imposto de Renda

Contribuinte deve ter cuidado ao fazer a declaração / Foto: Reprodução
Contribuinte deve ter cuidado ao fazer a declaração
Foto: Reprodução
Da Editoria de Economia
Passada a folia de Carnaval, é hora de voltar as atenções para o Imposto de Renda (IR). Nestaquinta-feira (2) começa o envio das declarações pela internet. O prazo termina no dia 28 de abril. Por isso, é preciso juntar a papelada para facilitar o preenchimento do programa virtual e não ficar em maus lençóis com a Receita Federal.
Os contribuintes que somaram mais de R$ 28.559,70 ao longo do ano de 2016 são obrigados a apresentar a declaração de ajuste anual. Também deve participar quem realizou alienação de bens, operações em Bolsas de Valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas, além de quem recebeu rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte com soma superior a R$ 40.000.
Há duas formas de declarar: pelos modelos simplificado (voltado para quem tem poucas despesas dedutíveis previstas pela Receita Federal, com desconto de 20% sobre a renda total, limitado a R$ 16.754,34) e o completo. Os documentos mais importantes são os pessoais, como CPF, título de eleitor e RG, os informes de rendimentos recebidos das fontes pagadoras. Também devem entrar no balanço benefícios previdenciários e extratos da movimentação bancária. No caso de autônomos, é necessário ter cópias de recibos e notas fiscais fornecidos para clientes ou pacientes.
Outros documentos que devem estar a mão do contribuinte são os que comprovam operações de venda, compra ou aluguel de imóveis. “Quem fez uma reforma e, com isso, aumentou o valor do imóvel pode colocar isso no Imposto de Renda. É preciso comprovar com notas fiscais emitidas pela empresa onde foram comprados os materiais de construção e pelo prestador de serviço que fez a reforma”, explica o presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Pernambuco (CRCPE), José Campos.
Quem opta pelo modelo completo deve discriminar gastos com dependentes (assim como a renda deles, a exemplo do estágio do filho), saúde e educação. Quanto aos dependentes, é importante ficar atento. A principal novidade do Imposto de Renda deste ano é a apresentação do CPF de dependentes com no mínimo 12 anos. Já despesas com pré-escola, escola, faculdade e pós-graduação, plano de saúde, consultas com dentista, psicólogo, terapeuta ocupacional, fonoaudiólogo e fisioterapeuta podem ser abatidas do IR. 

RESTITUIÇÃO

O benefício de enviar a declaração mais cedo é a prioridade na hora de receber a restituição. Na fila do recebimento, primeiro vêm os idosos, portadores de doenças graves e deficientes físicos ou mentais e contribuintes que entregaram primeiro. A restituição ocorrerá em sete lotes entre junho e dezembro.
O aposentado Antonio Geraldo Ferreira, 72 anos, já está juntando a papelada necessária. “Ainda faltam alguns documentos, o Carnaval atrapalhou esse ano. Mas eu vou arquivando e anotando consultas médicas. Conto com a ajuda de um contador há cinco anos para organizar as finanças, já que ele conhece melhor as regras da declaração do Imposto de Renda”, comenta. 
A orientação do assessor da Superintendência da Receita Federal em Pernambuco, Daniel Vieira, é de ter cuidado na hora de digitar. “Se digitar um valor ou uma vírgula errada, vai cair na malha fina e atrasar a restituição, se for caso de receber”. Para declarar, é preciso baixar o Programa Gerador de Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física 2017, disponível no site da Receita Federal, no endereço www.receita.gov.br.

Nenhum comentário:

Postar um comentário