sexta-feira, 8 de março de 2019

História e Origem do Dia Internacional da Mulher



A luta das mulheres por melhores condições de vida e trabalho começou a partir do final do século XIX, principalmente na Europa e nos Estados Unidos. As jornadas de trabalho de 15 horas diárias, os baixos salários e a discriminação de gênero eram alguns dos pontos que eram debatidos pelas manifestantes da época.
De acordo com registros históricos, o primeiro Dia da Mulher foi celebrado nos Estados Unidos em maio de 1908 (Dia Nacional da Mulher), onde mais de 1.500 mulheres se uniram em prol da igualdade política e econômica no país.
Vários acontecimentos levaram à criação de um dia especial para as mulheres. Um deles foi o incêndio numa fábrica de camisas em Nova York, ocorrido em 25 de março de 1911, que mataria 146 pessoas, dessas quais 129 mulheres. O número de vítimas se explica pelas péssimas condições de trabalho e porque uma porta estava fechada para impedir a fuga das trabalhadoras.
Esse incêndio levou à criação do mito de uma suposta greve que teria ocorrido em 8 de março de 1857, em Nova York, que não aconteceu. A confusão foi causada por jornais alemães e franceses na década de 60.
No entanto, o 8 de março teve origem com as manifestações das mulheres russas por melhores condições de vida e trabalho, durante a Primeira Guerra Mundial (1917). A manifestação, que contou com mais de 90 mil russas, ficou conhecida como "Pão e Paz", sendo este o marco oficial para a escolha do Dia Internacional da Mulher no 8 de março, data que somente foi oficializada em 1921.
Após este conflito e com as transformações trazidas com a Segunda Revolução Industrial, as fábricas incorporaram as mulheres como mão de obra barata. No entanto, devido às condições insalubres de trabalho, os protestos eram frequentes.
Também nas primeiras décadas do século, as mulheres começam a lutar pelo direito ao voto e à participação política.
Apesar disso, por muito tempo, a data foi esquecida e acabou sendo recuperada somente com o movimento feminista nos anos 60. A Organização das Nações Unidas, por exemplo, somente reconheceu o Dia Internacional da Mulher em 1977.
Atualmente, além do caráter festivo e comemorativo, o Dia Internacional da Mulher ainda continua servindo como conscientização para evitar as desigualdades de gênero em todas as sociedades.

quinta-feira, 7 de março de 2019

Através de pedido do prefeito Lero Governo do Estado vai limpar barragens do município


O prefeito de Taquaritinga do Norte Ivanildo Lero e o Secretário Municipal de Agricultura Zeca Coelho, estiveram no início do mês de fevereiro com o Secretário Estadual de Agricultura Dílson Peixoto onde na oportunidade fizeram várias reivindicações.  

Na semana que antecedeu ao período de carnaval, técnicos do governo do estado estiveram no município fazendo o levantamento das barragens para darem início da limpeza. Com a ação, o prefeito do município Lero, agradeceu por mais uma reivindicação atendida e que vai beneficiar a população de Taquaritinga do Norte. "Quero agradecer ao secretário Dílson Peixoto e ao governador Paulo Câmara que atendeu a mais essa nossa demanda, e já enviaram técnicos para fazer um levantamento das barragens beneficiadas que com o período de chuvas vai atender a toda população", falou o prefeito.

O Secretário de Agricultura Zeca Coelho acompanhou os técnicos no município, e falou sobre a ação que será realizada. "Fico contente nesse momento de estar colhendo os frutos do nosso trabalho quando junto com o prefeito Lero estivemos no gabinete do secretário Dílson que de imediato atendeu uma de nossas demandas. Agora após esse levantamento vamos cobrar início dos trabalhos o mais rápido possível", falou Zeca.



1° Trilha do Cruzeiro em Taquaritinga do Norte

Um grande evento para os apaixonados por trilhas irá acontecer em Taquaritinga do Norte, a 1° Trilha do Cruzeiro está sendo planejada e organizada para receber os trilheiros de todo Nordeste, um percurso muito bom com paisagens que só Taquaritinga do Norte tem .


Pão de Açúcar : Jovem morre em acidente

Um acidente de moto deixou uma vítima fatal, segundo informações o acidente aconteceu próximo a Vaquejada de Pão de Açúcar. O nome da vítima é João Vitor que residia em Santa Cruz do Capibaribe e tinha familiares em Pão de Açúcar.


DOIS MESES DE GOVERNO BOLSONARO

Por Ricardo  Kotscho* 
"O governo roda em torno de si mesmo e do nada(…) Acabrunha, irrita, revolta” (Miriam Leitão, hoje no Globo, resumindo a ópera bufa bolsonariana).
No mesmo dia em que Jair Bolsonaro completou dois meses de governo, o noticiário político deu conta de que ele, eleito em nome da “nova política” e do combate à corrupção, já cedeu à chantagem do “dá ou desce” do Centrão velho de guerra dos tempos de Eduardo Cunha.
A mesma “velha política”, criminalizada pelo capitão durante a campanha eleitoral, que levou Dilma ao impeachment, agora ameaça detonar a reforma da Previdência, o pau da barraca do governo, se não forem atendidas suas demandas.


Em nome da pátria, pedem o mesmo de sempre: verbas das emendas parlamentares à vista (fala-se em R$ 10 milhões por cabeça) e cargos no segundo escalão do governo federal em seus estados.
Mesmo fazendo cara feia, Bolsonaro foi negociar o apoio dos partidos do centrão e, já meio no desespero, convocou o filho Carlucho, o Zero Dois, para deflagrar uma campanha nas redes sociais em favor da aprovação da reforma.
Só vamos saber o resultado dessa ofensiva depois do Carnaval porque as excelências já deixaram Brasília e só voltam na segunda semana de março.

Até lá, a reforma da Previdência, o pacote do Moro, e o resto vão ter que esperar.
Sem ter conseguido até agora montar uma articulação política que preste no Congresso, sem uma base aliada confiável, sem um projeto de governo definido, com um ministério esquizofrênico, Bolsonaro atravessou este primeiro período de governo entre fracassos e delírios, a cada dia mais perdido na cadeira presidencial.

A chamada “lua de mel” de início de mandato foi um completo desastre.
Frondosos pomares de laranjais, variadas denúncias de corrupção de membros do governo, chantagens, barganhas, bateção de cabeças no Planalto, atritos com importantes parceiros comerciais, não teve um dia sem crise com a “nova política”.
Até os bolsominions que o elegeram já estão perdendo a paciência, como Carlucho constatou na reação às suas mensagens em defesa do pacote de Paulo Guedes, o Robin Wood ao contrário formado na escola de Chicago.

“Votei no 17 mas nem ferrando eu concordo com a Previdência”, reagiu um internauta ao comentar o vídeo postado pelo Zero Dois com Bolsonaro defendendo as mudanças, como relata Monica Bergamo em sua coluna na Folha.
“Seu pai podia fazer uma `live´explicando como se aposentar aos 33 anos de idade”, escreveu outro, lembrando o fato de Bolsonaro ter sido reformado (aposentado) pelo Exército, ao final de um processo por indisciplina.

Fake news no twitter e no zap-zap podem servir para ganhar uma eleição fraudada, mas não se mostram muito úteis para governar, tanto que os Bolsonaros estão saindo fininho das redes sociais nos últimos dias.
Os deuses do mercado também parecem já não botar fé nos poderes do capitão: o Índice de Confiança Empresarial caiu 0,7 ponto em fevereiro, segundo a Fundação Getúlio Vargas.
E até o PSL do laranjeiro Luciano Bivar, o partido franqueado ao presidente para disputar a eleição, já está dividido, com seus cacarecos disputando o butim do poder indo com muita sede ao pote.
De prático, só tivemos até agora o envio dos pacotes de Guedes e Moro à Câmara, onde estão empacados.
Até onde o desgoverno bolsonariano vai resistir?
E até onde o país aguenta tantos desvarios de ministros, elogios a ditadores e torturadores, ameaças aos direitos humanos e às conquistas sociais, agressões ao bom senso e à mínima civilidade nos modos?
Com o poder dividido entre os filhos do capitão e os generais de pijama que o tutelam, tudo pode acontecer, inclusive nada.

Por enquanto, eles estão mais preocupados com o destino da Venezuela de Maduro e o muro do Trump na fronteira do México do que com o dos 12,7 milhões de desempregados brasileiros, segundo o último levantamento do IBGE.

Parece ficção, e é tudo real. Foram só dois meses, mas já parece uma eternidade.
*Ricardo Kotscho é jornalista profissional, atua em São Paulo e assina o blog "Balaio do Kotscho".

domingo, 3 de março de 2019

Acidente com caminhão Pipa em Taquaritinga do Norte




Acidente com caminhão pipa em Taquaritinga do Norte. Segundo informações faltou freio no caminhão, que desceu em uma rua no bairro Zamba, caiu na barreira e quase atingiu casas na Beira Rio. Segundo informações não teve vitimas no acidente.





Taquararitinga : Hoje tem Quartas de Final do Poeirão na Brasília

Hoje tem a segunda rodada das quartas de final do tradicional Campeonato do Poeirão no Bairro Brasília. O campeonato é organizado por Edu...